Bernie Ecclestone é indiciado por suborno na Alemanha

Promotores não aceitaram alegação do inglês de que pagou banqueiro porque estava sendo ameaçado e caso vai a tribunal

O promotor da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, foi indiciado pelas autoridades alemãs por suborno cometido em 2006. O empresário estava sendo investigado desde que um banqueiro do país foi condenado por ter recebido pagamento ilegal de 44 milhões de dólares por sua participação na venda de ações da categoria, em 2006.

A defesa de Ecclestone argumentou que o dinheiro foi pago ao banqueiro Gerhard Gribkowsky como resultado de uma ameaça. O alemão teria dito que, caso não recebesse a quantia, entregaria dados falsos ao fisco britânico, incriminando Ecclestone.

A alegação não foi aceita pelos alemães, que decidiram processar o bilionário. Ecclestone, por sua vez, afirmou nesta quarta-feira que seus advogados “aceitaram o indiciamento. Isso significa que eles têm de responder às acusações e estão fazendo isso.”

Segundo Ecclestone, os promotores estão “alegando que eu subornei alguém”, mas garante que não fez “nada de ilegal”.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias