Bernie quer renovar "por 50 anos" com Austrália, mas com mesmo preço

Dirigente diz que país paga "o mesmo que qualquer outro" e busca a renovação do contrato, que expira em 2015

Apesar das recorrentes reclamações dos contribuintes australianos a respeito dos gastos para manter o GP local, Bernie Ecclestone afirmou que a intenção é que a Fórmula 1 permaneça no país “para sempre”. O dirigente busca renovar o atual contrato com a cidade de Melbourne, que expira em 2015.

Os representantes da cidade asseguram que há interesse em manter a prova, mas querem uma redução nas taxas cobradas. Recentemente, um jornal do país revelou que o evento custava mais de 60 milhões de reais por ano aos cofres públicos.

“Todos amam a Austrália, é bom estar lá. Entendo que recebamos algumas críticas mas não sei por que. Estamos felizes com Melbourne e assinaria um contrato de 50 anos”, afirmou Ecclestone no podcast oficial do GP. “Não tenho problemas com Melbourne, espero que continuemos lá para sempre.”

Perguntado sobre o valor da taxa, o dirigente assegurou que “é a mesma de qualquer outro lugar do mundo”, e prosseguiu: “Melbourne provavelmente não precisa ser colocada no mapa, mas é isso que a F-1 faz pela cidade: tem muito mais cobertura ao redor do mundo do que qualquer outro evento da cidade.”

Ecclestone aproveitou para diminuir as queixas. “É só uma ou duas pessoas fazendo barulho. Parece que somos queridos no momento e estamos felizes de levar a F-1 para lá.”

O GP da Austrália deste ano abre a temporada, dia 17 de março. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Tipo de artigo Últimas notícias