BMW diz não ter planos de retornar à F1 no futuro

Montadora diz estar mais interessada em projetos mais baratos e envolvendo carros de energia renovável

A BMW diz não ter planos de voltar um dia à Fórmula 1. A fabricante, que fez sua última incursão na categoria entre 2000 e 2009, não vê a categoria como uma boa plataforma para seus projetos automotivos dos próximos anos.

"Quando decidimos sair da Fórmula 1, em 2009, foi uma decisão estratégica de longo prazo da empresa", disse BMW à Autosport, publicação do Motorsport.com, em um comunicado.

"Nós queríamos colocar alguns dos recursos da F1 para a pesquisa e desenvolvimento de soluções alternativas de nossas unidades motrizes, e assim fizemos. Nós nos estabelecemos como a principal fabricante de automóveis de luxo da atualidade com mobilidade elétrica.”

"Estamos observando os desenvolvimentos no mundo do automobilismo, mas atualmente não temos planos de voltar à Fórmula 1."

A BMW atualmente tem programas no DTM e no GT. A fábrica promete um retorno a Le Mans na categoria GTE em 2018. A marca também é parceira da Andretti na Fórmula E, e está avaliando uma entrada oficial no campeonato na temporada 2018/19.

A fabricante alemã entrou pela primeira vez na F1 em 1982 como fornecedora de motores para a Brabham e impulsionou Nelson Piquet para o campeonato mundial no ano seguinte.

Os alemães saíram da F1 em 1987, mas voltaram em 2000 como fornecedores da Williams, time com o qual conseguiu 10 vitórias e 17 poles.

Em 2005, a marca comprou a Sauber e a rebatizou para o ano seguinte. A BMW venceu o GP do Canadá em 2008 com Robert Kubica.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias