Bottas: Precisamos de respostas para fraquezas do hipermacio

compartilhar
comentários
Bottas: Precisamos de respostas para fraquezas do hipermacio
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
Traduzido por: Daniel Betting
28 de mai de 2018 20:49

Valtteri Bottas diz que a Mercedes precisa entender melhor como trabalhar com os pneus hipermacios nas corridas, depois de não conseguir chegar na frente no GP de Mônaco

Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13, leads Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18, and Stoffel Vandoorne, McLaren MCL33
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H and Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09
Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, leads Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, and Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, leads Esteban Ocon, Force India VJM11

A Mercedes tentou evitar usar o pneu hipermacio na corrida, colocando os dois carros na pista com os ultramacios no Q2.

Como os carros não tinham ritmo de avançar ao Q3, Bottas e seu companheiro de equipe Lewis Hamilton tiveram que usar o hipermacio para avançarem à última etapa dos classificatórios.

Na corrida, Hamilton trocou seus hipermacios logo na 12ª, enquanto Bottas esperou até a 17ª volta.

Bottas admitiu que a Mercedes precisa superar os problemas com os pneus para o GP do Canadá, onde o hipermacio será usado novamente.

"É um bom pneu para a classificação, mas para a corrida é muito difícil mantê-lo vivo e evitar a grande degradação e granulação", disse Bottas.

"Vamos analisar tudo o que pudermos neste fim de semana, porque acho que outras equipes podem operar o Hiper melhor que nós nas corridas longas, e isso é algo para aprendermos em Montreal, se não pudermos nos classificar com qualquer outro pneu no Q2."

A equipe dividiu suas estratégias para Mônaco, com Hamilton indo até o fim com os ultramacios e Bottas usando o supermacio. O britânico terminou a corrida em terceiro, enquanto o finlandês ficou em quinto.

Bottas sentiu, no entanto, que era o carro, e não os pneus, o que deixou a Mercedes incapaz de largar da pole ou vencer a corrida.

"Eu acho que honestamente o hipermacio para nós na corrida foi a fraqueza", acrescentou Bottas.

"Por outro lado, conseguimos fazê-los funcionar muito bem. Acho que conseguimos trabalhar o ultra e o super como deveríamos.”

"Honestamente [o supermacio] foi uma surpresa para nós na corrida. Na quinta-feira não parecia nada tão especial, mas definitivamente era o melhor pneu para se estar.”

"Eu acho que apenas a degradação rápida do hiper foi o problema para nós”.

Bottas admitiu que ficou surpreso com o long stint de 37 voltas feito por Pierre Gasly com os hipermacios, o que ajudou o piloto da Toro Rosso a conquistar o sétimo lugar.

"Eu acho que foi impressionante o tempo eles conseguiram fazer com o hiper, então com certeza eles estavam fazendo algo melhor do que nós com aquele pneu."

"Acho que a fraqueza para nós neste fim de semana foi a performance de longo prazo com o hiper e falta geral de ritmo com o carro."

Confira os dez momentos mais marcantes do GP de Mônaco

 

Next article
Mônaco no olho do furacão: pilotos detonam corrida

Previous article

Mônaco no olho do furacão: pilotos detonam corrida

Next article

Force India: Ocon superou problemas de freios para ser 6º

Force India: Ocon superou problemas de freios para ser 6º
Load comments