Bruno Senna endossa críticas à F1 pouco “saudável”

Ao lado do manifesto da GPDA (associação de pilotos) no qual criticava a F1 atual, brasileiro diz que categoria pode não ter bom futuro

Na última semana a GPDA publicou uma carta à FIA (Federação Internacional de Automobilismo), temendo que mudanças erradas da F1 pudessem representar uma ameaça para o futuro da categoria. Ex-piloto no campeonato, Bruno Senna teme também pelo futuro do esporte.

"A GPDA está completamente certa", disse Senna ao Motorsport.com.

"Quero dizer, a F1 não é um esporte muito saudável agora. Há muitos sentimentos negativos de pessoas dentro e fora da F1, então diria que os pilotos precisam estar preocupados com seus empregos a longo prazo.”

"Alguns desses caras estão indo para a F1 agora, e se as pessoas têm dificuldades para estar na F1, não haverá F1 no futuro. Portanto, esperamos que eles continuem lutando."

Decisões certas

Senna acha que uma nova abordagem é o que a F1 precisa para melhorar no futuro.

"Em última análise, a F1 é o auge do automobilismo. É o campeonato que a maioria dos pilotos, quando começa a correr, vislumbra.”

"Eu acho que se a F1 não existisse, seria ruim para o automobilismo. Portanto, espero que ela esteja saudável para ficar melhor. Espero que ela fique saudável com boas decisões, e não apenas mais do mesmo."

O apelo da GPDA para mudanças foi apoiado pelo chefe da F1, Bernie Ecclestone, e veio apenas um dia antes de o esporte se ver forçado a manter o formato de eliminação da classificação para o GP do Bahrain, pois não havia apoio unânime para mudar.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias