Bruno Senna revela maratona na parte final do campeonato

Com seis GPs em oito semanas - e muitas viagens -, pilotos têm dificuldade em manter o ritmo dos treinamentos

A última fase do campeonato não é fácil para ninguém na Fórmula 1. São seis etapas em oito semanas em diversos cantos da Ásia e das Américas, um desafio para a preparação física e mental dos pilotos, como revelou Bruno Senna ao TotalRace. “Isso muda bastante o ritmo da preparação física, porque você acaba não conseguindo fazer o mesmo número de treinos físicos de que precisa – principalmente com as viagens –, por ficamos de 10h à 12h no avião para ir a cada etapa. É uma rotina pesada. São as semanas em que você fica mais cansado da temporada toda. No final das contas, é só tomar cuidado para não se estressar demais e não descuidar do físico”.

Quanto às chances das Williams, mesmo com o desempenho aquém do esperado no GP da Coreia, quando nem Bruno, nem Pastor Maldonado, mostraram ritmo para lutar pelo top 10, o brasileiro acredita que é possível pontuar em todas as quatro etapas até o final. “O carro deve estar entre os 10 primeiros em todas as pistas daqui até o final do ano pois não tem nenhum traçado como Montreal, em que não estivemos tão bem pelo nível de pressão aerodinâmica. O importante é conseguir estar entre os pontos com os dois carros, o que foi a grande fonte de pontos da Force India nestas últimas corridas”. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias