Carey: times estão em “amplo consenso” sobre teto de gastos

Diretor executivo da F1 diz que, agora, questão será discutir os detalhes individualmente com cada equipe

O diretor executivo da F1, Chase Carey, afirmou que há um “amplo consenso” das equipes no que diz respeito à introdução de um teto de gastos e insiste que isso deixaria o esporte mais atrativo para novos inscritos.

O assunto foi discutido de forma preliminar na reunião do Grupo Estratégico da F1 na última terça-feira, em Genebra, apesar de não ter havido detalhes ou números específicos.

“Não quero ir longe e negociar em público. O que eu diria é que nós, obviamente, já começamos isso tudo. Acho que há um amplo consenso a respeito da direção que estamos falando”, disse Carey.

“Nós, obviamente, precisamos entrar nos detalhes, e nisso haverá diferentes visões. É nosso trabalho encontrar o meio termo correto para que todos se sintam melhores. É uma proposta justa e deixará o esporte muito mais saudável.”

Carey afirmou que as mudanças planejadas deixariam o esporte mais atrativo para possíveis novas equipes que atualmente se sentem assustadas com os custos e os desafios de criar um pacote competitivo.

“Isso criaria um modelo de negócios que, primeiro, seria benéfico às equipes existentes. Mas acho que é um modelo de negócios mais saudável. Isso também atrairia novas equipes a isso”, disse.

“Quando as pessoas de fora olham, de certa forma elas olham aos desafios do esporte. O que as equipes de ponta gastam é um obstáculo.”

Carey revelou que discutirá detalhes do plano de teto de gastos individualmente com os representantes de cada equipe.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias