Chefe avisa sobre impactos de saída dos times Red Bull da F1

A equipe diz que os chefes da F1 não estão percebendo o potencial impacto no esporte se Red Bull e Toro Rosso se retirarem da categoria no final deste ano

Enquanto a Red Bull pressiona a Ferrari a aceitar um acordo que garanta igualdade de performance de motor, o conselheiro esportivo Helmut Marko deixou claro que sua equipe fala sério quando diz que pode abandonar a F1. Em uma entrevista publicada no site oficial da F1, Marko disse que o dono da companhia, Dietrich Mateschitz está pronto para fechar as suas duas equipes na F1 se não puder ter o acordo que quer da Ferrari.

"Sim, este é o cenário. Se nós não tivermos um motor que nos permita competir na frente, nós preferimos parar", disse Marko.

Quando perguntado se os acionistas da F1 estavam cientes do potencial dano que isso causaria, Marko respondeu: "sim, mas eu acho que nem todo mundo reconhece o impacto que vai ter."

Marko disse que a Red Bull não vai aceitar um acordo em que receba motores de segunda linha da Ferrari. "Se forem apenas alguns cavalos de potência a menos, não iremos nos preocupar. Mas no final você pode checar muito facilmente com os registros do GPS e outros parâmetros para ver o que você realmente tem", disse.

 "A verdade é que o motor - o hardware - não é o principal problema. A questão é o software e o mesmo combustível. Se não não tivermos um motor competitivo, não há futuro para a Red Bull Racing. A cortina pode baixar após Abu Dhabi", afirmou Marko.

Sobre a Audi, Marko disse que não houve progresso em um potencial acordo de longo termo, apesar das especulações durante o GP de Cingapura. "Os rumores estão lá, mas eu não acho que eles tem um desenho pronto de motor em seus arquivos." 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias