Chefe da Mercedes vê Manor com potencial de pontuar

Toto Wolff acredita que, com investimento e nova parceria com a Mercedes, time britânico pode deixar o fundo do pelotão

Com vários altos e baixos em sua história na Fórmula 1, a equipe Manor chega a 2016 prometendo ter um ritmo melhor do que o que apresentou de 2010 até o ano passado. Tida como “equipe nanica”, a escuderia terá agora o motor Mercedes – o mais expressivo da nova era híbrida da F1 – e um protegido da montadora alemã em um de seus carros – o alemão Pascal Wehrlein.

Para Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes, o time tem um bom potencial.

"A Manor vai dar um grande passo e não só por causa do motor. Há um bom grupo de pessoas trabalhando", disse ele.

"Eles são profissionais impressionantes, com o orçamento certo e a atitude certa. Eles terão Pascal (Wehrlein) no carro, por isso tenho confiança de que o equipamento e o piloto terão destaque e poderão estar bem no meio do grid."

Wolff também espera um ressurgimento da McLaren-Honda, que acabou tendo performances ruins durante a última temporada.

"A Honda é uma grande empresa com muitos recursos. Eles tiveram a unidade de potência que teve a curva de desenvolvimento mais impressionante ao longo de 2015, mesmo que tenha sido um ano muito difícil para eles", explicou.

"Ainda foi muito bom o que eles alcançaram em termos de como eles evoluíram. Não tenho dúvidas de que serão fortes concorrentes no futuro."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pascal Wehrlein
Equipes Manor Racing
Tipo de artigo Últimas notícias