Chefe da Red Bull dispara contra restrição de motores

Christian Horner diz que mudança para três unidades por ano a partir de 2018 “chateia bastante” e é ruim para o esporte

A restrição na regra dos motores para o ano que vem, de quatro para três unidades por temporada, não vem sendo bem vista por algumas equipes da Fórmula 1.

A Red Bull, cujos pilotos foram atingidos por penalidades de grid em várias ocasiões neste ano, sugeriu anteriormente que o limite atual fosse mantido no próximo ano.

No entanto, a proposta foi bloqueada pela Ferrari.

"Para mim, isso chateia bastante", disse Horner ao Channel 4. "Nós acabamos este ano com seis motores, eu acho”.

"Ir para três no ano que vem com uma corrida a mais é loucura, para ser honesto. Você ainda está queimando esses motores no dinamômetro, e a realidade é que isso não economiza dinheiro.”

"Essas punições de grid. Não acho que alguém goste de vê-las na medida em que estão acontecendo no momento. Se você chegou à última corrida decidindo tomar penalidades de motor, não é ótimo.”

"Queremos ver os caras na pista, obviamente. Para mim, cinco motores para um campeonato de 21 corridas seria um número mais sensato e lógico".

Horner espera que Max Verstappen e Daniel Ricciardo passem o fim de semana de Abu Dhabi sem mais penalidades.

"Se passarmos a sexta-feira sem punições, isso nos coloca em uma posição melhor para sábado e domingo, quando espero que possamos parar de ter cautela.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias