Chefe da Toro Rosso: F1 deveria banir defletores dos carros

compartilhar
comentários
Chefe da Toro Rosso: F1 deveria banir defletores dos carros
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
Co-autor: Oleg Karpov
18 de out de 2018 16:23

A F1 deveria impor um banimento imediato nos defletores de seus carros como parte da tentativa de melhorar a estética para o futuro, acredita o chefe da Toro Rosso, Franz Tost.

Os proprietários da F1, o grupo Liberty Media, continuam analisando formas de melhorar a aparência dos carros para 2021, e Tost acredita que a simplificação dos conceitos seria uma mudança positiva.

A atual geração de carros possui defletores bastante complexos, já que o regulamento introduzido em 2017 permitia liberdade na área situada entre as rodas dianteiras e a tomada de ar lateral dos modelos.

Tost está convicto de que, se a F1 estiver falando sério nos planos para melhorar a aparência para o futuro, então que se trata de algo que o Liberty precisa impor limitações.

“Com Ross Brawn, Pat Symonds e os especialistas no lado aerodinâmico, eles sabem o que é preciso fazer para se livrar de todos esses elementos aerodinâmicos adicionais, e aí teríamos um carro limpo”, disse Tost ao Motorsport.com.

“Por exemplo, se eu escrevesse a regra, e isso seria totalmente fácil, para nos livrarmos desses defletores e todas essas asas adicionais.”

“Isso tudo deixa o carro alguns décimos mais rápidos, mas a imagem do carro não é mais tão limpa, e não é algo mais tão ajeitado. Portanto, eu simplificaria, do ponto de vista das regras, e proibiria todas essas coisas, e é possível fazer isso. Eles devem fazer isso.”

O Liberty recentemente revelou imagens conceituais dos planos para o visual dos carros para 2021, e Tost disse que gostou da ideia.

“Espero que eles caminhem nessa direção”, disse. “Os carros deveriam parecer agressivos, um pouco menores e, do ponto de vista aerodinâmico, um pouco mais na direção do futuro. Os carros agora parecem muito legais, mas, para mim, eles são um pouco grandes demais. Eles deveriam ser menores.”

“Quando me lembro dos anos 70 – a Lotus, por exemplo. Quando vi aquele carro pela primeira vez, fiquei eletrificado. Aí Jochen Rindt venceu com esse carro. Foi algo especial.”

“Você podia ver desde o começo que o carro seria algo especial.”

“Se você comparar com outros carros daquela época, havia uma diferença muito grande, e espero que os carros da nova geração da F1 possam ir na mesma direção.”

Jochen Rindt, Team Lotus

Jochen Rindt, Team Lotus

Photo by: Rainer W. Schlegelmilch

Next article
Force India renova com Perez para temporada 2019

Previous article

Force India renova com Perez para temporada 2019

Next article

Force India: Sexto seria mais fácil sem acidente em Singapura

Force India: Sexto seria mais fácil sem acidente em Singapura
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Toro Rosso Shop Now
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias