Chefe de Austin revela que GP foi “devastador financeiramente”

compartilhar
comentários
Chefe de Austin revela que GP foi “devastador financeiramente”
29 de out de 2015 12:27

Afetado pelo furação Patrícia, ação de pista é sensivelmente diminuída e dia da corrida tem audiência mais baixa desde 2012

Rain falls in the paddock
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06 leads team mate Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing works a food truck in Austin
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing works a food truck in Austin
Heavy rainfall delays the start of FP2
Heavy rain and storm warnings in the grandstand
Heavy rain in the pits that cancelled FP2
A wet and rainy paddock

O Circuito das Américas sediou uma corrida memorável da Fórmula 1 no último domingo, que viu Lewis Hamilton como campeão mundial pela terceira vez. Porém, por outro lado, a pista sofreu com o clima instável, e seu diretor calcula que perdeu dinheiro pela primeira vez fazendo o evento.

“Foi um final de semana difícil”, disse Bobby Epstein, diretor do Circuito das Américas.

Em entrevista ao site American-Statesman, Epstein elogiou os esforços de milhares de funcionários e voluntários que resistiram às chuvas, com destaque para uma plateia de 40 mil que assistiu ao show de Elton John que encerrou o evento.

Porém, Epstein disse que uma confluência de problemas na semana passada resultou em "um fim de semana financeiramente devastador para a empresa" que opera a pista.

"Perdemos milhões em concessões que, sob circunstâncias normais, os fãs teriam comprado. E nós ainda sofremos pelo fato de alguns fãs terem tido experiências tão ruins que não vão voltar mais no ano que vem. No entanto, eu espero que nós possamos mudar a mente deles."

A questão principal foi o clima. O final de semana teve muita chuva graças ao furação Patrícia, que ganhava força subindo o Golfo do México. Por isso, o público foi impedido de ver a terceira sessão de treinos livres, na manhã de sábado – única ação de pista da F1 do dia. A audiência só pôde entrar na pista a partir do meio-dia.

"Tivemos a ajuda de todos os cantos desta comunidade", disse Epstein, que também lamentou a corrida no México ser tão próxima da de Austin. Graças a isso, muitos mexicanos deixaram de acompanhar o GP.

Confira o número de torcedores nos quatro GPs dos EUA no Texas:

2015 — 101,667

2014 — 107,778

2013 — 113,162

2012 — 117,429

Próxima Fórmula 1 matéria
Além de Rossi, veja mitos da pista em dia de Dick Vigarista

Previous article

Além de Rossi, veja mitos da pista em dia de Dick Vigarista

Next article

Red Bull se arrepende de críticas à Renault, diz Lauda

Red Bull se arrepende de críticas à Renault, diz Lauda
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias