Chefe do circuito de Montreal pondera modificações na pista

Com quase 25 anos de idade, CEO do GP canadense quer fazer alterações estruturais para renovar o contrato com a F-1

Reforma no circuito é esperada

François Dumontier, o presidente e CEO do Grande Prêmio do Canadá espera manter a corrida por mais tempo no Circuito Gilles Villeneuve, mas para tal, está apto a fazer as mudanças necessárias.

Com o contrato expirando no fim de 2014, Dumontier não quer somente uma renovação de contrato, mas sim uma mudança estrutural no circuito que já tem quase 25 anos de idade.

"É importante notar que nestes dois anos que faltam no atual contrato com a FOM, e os parceiros estão em diferentes níveis de governo e do turismo de Montreal", disse Dumontier ao jornal canadense La Presse.

"Dado o fato que este circuito é permanente, incluindo a torre de controle e as garagens que tem próximo de 25 anos de idade, restaurar essas coisas são importantes para as negociações de extensão de contrato."

Dumontier concluiu dizendo que o custo das obras no circuito canadense ainda não tem previsão orçamentária.

"É prematuro dizer uma quantia específica para esse possível trabalho", finalizou.

O circuito foi inaugurado como Ilê de Notre-Dame em 1978 - inclusive com uma vitória do Canadense Gilles Villeneuve, sua primeira na carreira -, mas a partir de 1982, com a morte do ídolo mor do país nas pistas, o circuito foi renomeado com seu nome.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Tipo de artigo Últimas notícias