Chefe do GP da Malásia admite que corrida pode não passar de 2015

compartilhar
comentários
Chefe do GP da Malásia admite que corrida pode não passar de 2015
Por: Rian Assis
28 de nov de 2012 13:57

Representante não se acerta com a FOM e faz lista de reivindicações para corrida continuar acontecendo normalmente

Falta de luz natural também foi um problema em 2012

Com um contrato até 2015 com a Fórmula 1, o Grande Prêmio da Malásia pode não renovar seu contrato com a FOM.

Segundo Razlan Razali, o organizador chefe do GP, a entidade precisa ser mais flexível com o evento. "Eu acho que para o evento ser bem-sucedido e ir além de 2015 - pagando-se muito para a Fórmula 1 - a FOM precisa nos ajudar e nos permitir fazer o máximo possível para conseguir espectadores no circuito", disse Razali à Isportconnect.

Por conta da época do ano e do horário de transmissão na Europa, o GP começa em um horário local bastante tarde, comprometendo inclusive a visibilidade, caso o GP for de baixo de chuva, como aconteceu em 2009. "Temos que mudar muitos pontos-chave para começar a conversar sobre isso, incluindo a hora da corrida", finalizou Razali.

Próxima Fórmula 1 matéria
Posição no Brasil nos dá chances de continuar, diz manager de Petrov

Previous article

Posição no Brasil nos dá chances de continuar, diz manager de Petrov

Next article

"Bruno precisa de continuidade", pede Christian Fittipaldi

"Bruno precisa de continuidade", pede Christian Fittipaldi
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Autor Rian Assis
Tipo de matéria Últimas notícias