Chefe nega que Liberty queira padronizar a Fórmula 1

Diretor comercial da categoria, Sean Bratches diz querer juntar grid sem “homogeneizar” o esporte

Com a atual falta de equilíbrio da Fórmula 1, o diretor comercial da Liberty Media, Sean Bratches, diz querer aproximar mais o grid do campeonato mundial. No entanto, ele descarta que sua intenção seja de padronizar a categoria.

Após a proposta de um novo motor mais atraente aos fãs, a Liberty espera implementar um corte de gastos.

"Acho que, se você olhar para os esportes mais bem sucedidos do mundo, há uma distribuição de capital mais equitativa que cria um campo melhor de competição que envolve fãs e insere um grau de imprevisibilidade", explicou Bratches à Racer.

"Hoje na Fórmula 1 há muito pouco grau de imprevisibilidade. É quase certo quem vai estar no pódio e quem vai ganhar.”

"Aqueles que estão investindo fortemente em suas equipes estão aproveitando os frutos disso. Nós não queremos homogeneizar este esporte. Queremos criar um grau de limites nos quais as equipes possam inovar, e aqueles que forem melhores na exploração disso, irão melhor.”

"Mas não estamos tentando criar uma circunstância em que todos devem ter o mesmo motor ou a mesma pintura. Não é para onde estamos indo, mas queremos levar a parte de trás do grid para frente e aproximar um pouco as coisas."

Após a proposta de motores para a próxima temporada, divulgada na última semana, a Liberty Media e a FIA também deverão apresentar às equipes com uma proposta de orçamento no final deste ano.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias