Chefes da F1 "fazem tudo" para que Honda fique na categoria

Nova direção admite que fazem tudo o que podem para que fabricante japonesa não saia da F1 após o término da temporada

É esperado que a McLaren chegue a uma decisão final sobre seu futuro com a Honda nesta semana, com a crescente especulação de que contará com o fornecimento de motores da Renault.

Se isso acontecer e se a Honda não se juntar à Toro Rosso, a fabricante japonesa será forçada a sair da F1.

O Motorsport.com apurou que o presidente da FIA, Jean Todt, escreveu uma carta ao CEO da Honda, Takahiro Hachigo, expressando seu apoio e desejando encontrar uma maneira de manter a Honda na F1.

Isso aconteceu depois que Todt se encontrou com o presidente da F1, Chase Carey, e o chefe da Honda, Masashi Yamamoto, no paddock de Monza no fim de semana para discutir a situação do fornecimento de motores.

O chefe comercial da F1, Sean Bratches, disse que manter a Honda no campeonato "beneficiaria a todos" no longo prazo e ele está "otimista" que uma solução poderá ser encontrada.

"Nós não queremos perder a Honda", explicou Bratches ao Motorsport.com. "A Honda é um parceiro de longa data da F1."

"Estamos tentando fazer tudo o que pudermos para encorajar as respectivas partes a mantê-la no esporte e crescer, porque pensamos que há uma grande oportunidade para todos os envolvidos na F1."

"Precisamos que todos neste esporte tenham um bom negócio. Nossa filosofia é realizar negócios de forma muito transparente com ênfase na comunicação."

"Não temos quaisquer agendas escondidas. Estamos trazendo nosso ponto de vista coletivo para as respectivas partes. Estamos otimistas de que algo possa ser definido aqui."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias