Cinco coisas que estarão em jogo no GP do México de F1

compartilhar
comentários
Cinco coisas que estarão em jogo no GP do México de F1
26 de out de 2018 13:02

Hamilton confirma o título antecipado? É a chance derradeira da Red Bull? Grosjean escapará do gancho? Listamos estes e outros pontos a serem observados

Lewis Hamilton terá mais um matchpoint pela frente neste fim de semana. No GP do México, o inglês poderá confirmar seu quinto título na F1 e definir a disputa contra Sebastian Vettel com duas provas de antecipação.

Esta é a principal narrativa a ser observada na corrida do circuito Hermanos Rodriguez, mas não para por aí. A antepenúltima etapa da temporada terá outros pontos importantes que valem a atenção, tanto do ponto de vista de desenvolvimento técnico quanto a uma possível suspensão no grid.

Portanto, separamos abaixo cinco coisas que estão em jogo e que devem ser observadas no GP do México de 2018:

Chegou a hora do penta?

 

Photo by: Steve Etherington / LAT Images

A chance de cravar o título já no GP dos Estados Unidos escorregou das mãos de Lewis Hamilton. No entanto, como ainda assim conseguiu ampliar sua vantagem para Sebastian Vettel em Austin, o inglês chega ao México com as mãos no pentacampeonato.

A situação de Hamilton é relativamente tranquila para garantir a taça já no domingo. A ele, basta terminar entre os sete primeiros colocados (coisa que fez em 17 das 18 provas já disputadas no ano), mesmo que Vettel vença (o que não acontece desde agosto).

Caso o alemão não vença no México, o título já fica matematicamente reservado para o piloto da Mercedes. Ou seja, a situação é bastante confortável do ponto de vista de Hamilton, mas corridas são corridas...

Como está a competitividade da Mercedes?

 

Photo by: Mark Sutton / Sutton Images

A relação de forças da F1 oscilou bastante nas últimas etapas. A Mercedes emendou uma fase de domínio entre os GPs de Singapura e Japão, mas a Ferrari conseguiu dar a volta por cima em Austin, com a vitória de Kimi Raikkonen.

Não ficou muito claro exatamente por que aquilo aconteceu. Será que os italianos se beneficiaram tanto assim por terem descartado algumas de suas novidades técnicas recentes que não surtiram muito efeito? Levando em consideração alguns dos desenvolvimentos do GP dos Estados Unidos, o cenário poderá ficar um pouco mais claro no México.

Veio à tona posteriormente que a Mercedes cometeu um sério erro na distribuição de peso em seu carro para a corrida americana – com o lado direito do W09 50 kg mais pesado que o esquerdo, o que provocou grande desequilíbrio. Além disso, a equipe alemã poderá utilizar as tão comentadas novas rodas traseiras, que são consideradas parte importante do recente crescimento e que não foram adotadas em Austin por receio a protestos das rivais. 

Assim, ficará um pouco mais claro no México como está a relação de forças do momento – e há a chance de termos um terceiro time nessa briga...

Chance derradeira da Red Bull?

 

Photo by: Jerry Andre / Sutton Images

A própria Red Bull já havia previsto há meses que o GP do México seria uma de suas poucas oportunidades no ano de render de igual para igual com as ponteiras. Agora a resposta enfim poderá ser dada na prática.

O Hermanos Rodriguez é o circuito situado na maior altitude de todo o calendário, 2200 metros acima do nível do mar. A diferente pressão atmosférica altera tanto o rendimento do motor quanto da aerodinâmica do carro, e a Red Bull espera poder se beneficiar com isso.

Alguns indícios deixam a equipe ainda mais animada, como o rendimento competitivo apresentado por Max Verstappen em Austin, ou a vitória dominante do mesmo Verstappen no México em 2017. Evidentemente a Red Bull ainda precisa fazer sua tarefa de casa, especialmente para solucionar os constantes problemas mecânicos enfrentados por Daniel Ricciardo. Mesmo assim, o otimismo existe pelos lados do time.

Kimi continua com boa fase?

 

Photo by: Steve Etherington / LAT Images

Na contagem regressiva para deixar a Ferrari, Kimi Raikkonen vem de uma de suas provas mais competitivas de toda sua passagem atual por Maranello. A atuação impecável em Austin fez novamente do finlandês um real protagonista, o que deixa em aberto a possibilidade do cenário se estender até o México.

O bom momento de Kimi, aliás, coincide com uma fase ruim de Vettel, que cometeu novo erro na corrida americana. Como fica a disputa interna da Ferrari nas provas finais da parceria da dupla?

Grosjean escapa do gancho?

 

Photo by: Andy Hone / LAT Images

Romain Grosjean chega ao México com a corda no pescoço. O francês da Haas cometeu novo erro no GP dos Estados Unidos, quando bateu em Charles Leclerc na volta de abertura, e ficou muito próximo de receber uma suspensão.

Com o episódio de Austin, Grosjean acumulou 10 pontos de punição em sua carteira, ou seja, está a apenas dois de ficar de fora de uma corrida. Estes pontos restantes podem ser obtidos tanto em novos incidentes na prova, como em colisões com rivais, ou com infrações durante os treinos – como, por exemplo, o caso de Vettel em Austin, quando andou mais rápido que o recomendado sob as bandeiras vermelhas na primeira sessão livre.

Um dos pontos de Grosjean irá expirar na semana seguinte ao GP do México, o que deixaria o piloto mais aliviado para o restante da temporada. Mas, para que isso aconteça, primeiro ele teria de evitar qualquer confusão no Hermanos Rodriguez.

Next article
Ricciardo: falta de confiabilidade atual é “inexplicável”

Previous article

Ricciardo: falta de confiabilidade atual é “inexplicável”

Next article

Pilotos da F1 querem câmeras e telas no lugar dos espelhos

Pilotos da F1 querem câmeras e telas no lugar dos espelhos
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do México
Tipo de matéria Últimas notícias