Colegas valorizam a vontade de Barrichello de permanecer na F-1

Vettel, Button e Webber, no entanto, não se veem por 20 anos na categoria, marca que o brasileiro busca para 2012

Barrichello em Internagos Foto: Miguel Costa Junior

No que depender de seus colegas de grid, Rubens Barrichello tem todo o apoio para continuar na Fórmula 1 e fazer o seu 20º ano na categoria. Mesmo que não se vejam disputando o Mundial por tanto tempo quanto o piloto brasileiro, os pilotos sentem que o veterano ainda tem o que é necessário para dar conta do recado: fome.

“Realmente espero que ele consiga uma vaga para o ano que vem, porque senão perderemos uma grande festa no domingo à noite”, brincou o ex-companheiro de Barrichello, Jenson Button. “Acho que é o mesmo para vários pilotos. Você tem de ter certeza de que quer parar porque se tentar parar, acredito que não funcionaria para muitos de nós. É uma decisão difícil, se for uma escolha sua.”

O inglês afirmou que o tempo passa tão rápido na F-1 que às vezes se assusta em pensar que já tem 12 anos “de casa”.

“É assustador que essa seja minha 12ª temporada já, com 31 anos. No momento, não consigo me imaginar aqui por mais oito anos, mas quando estava na F-1 há quatro ou cinco anos, não esperava estar aqui agora. Como sabemos, com tantas viagens, não dá tempo de sentar e pensar, então os anos passam muito rápido e, contando que você tenha a vontade, o que obviamente está lá no caso de Rubens, é ótimo que ele ainda queira correr.”

Bem mais longe de pensar em aposentadoria, Sebastian Vettel disse que, para ele, Barrichello é um exemplo “inspirador”.

“Acho que seria uma pena perder Rubens, porque ele pertence a este lugar, está aqui há muito tempo. No final das contas, acho que não importa o quanto tempo você está na F-1 mas, o que é realmente inspirador em relação a Rubens é que ele ama o que faz. Tenho a impressão de que ele é feliz quando acorda de manhã e vai para pista, e não pensa sobre sua idade.”

Mark Webber relembrou a comemoração da primeira vitória do brasileiro para defini-lo.

“Rubens é um homem incrível para o nosso esporte. Ele passou por momentos muito difíceis, particularmente em 1994 e teve outros grandes momentos também. Acho que vê-lo chorar no pódio em Hockenheim depois da grande performance vindo do fundo do grid é como amamos ver Rubens e como ele é genuíno.”

O australiano contou que conheceu o ex-boxeador Frank Bruno por acaso e o britânico lhe contou como esse momento de decidir se para ou não é o mais difícil para um atleta.

“Há alguns meses, encontrei Frank Bruno na academia. Ele passou por momentos muito difíceis e foi muito honesto comigo e disse que a maior luta que terá em sua carreira é quando tenta parar. O positivo é que, como somos competitivos, há obviamente alguma arrogância envolvida em querer continuar competindo. Mas a fome, o desejo são óbvios em Rubens.”

Perguntado se imginaria-se na Fórmula 1 por mais tempo, o piloto da Red Bull brincou. “Não me imagino aqui por mais 10 anos. Não seria muito sexy aos 45, então é melhor deixar assim.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Jenson Button , Rubens Barrichello , Mark Webber , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias