Stoffel Vandoorne

Coluna do Vandoorne: Sepang foi minha melhor corrida

Em sua coluna no Motorsport.com, belga fala sobre GP da Malásia e do que espera da pprova de Suzuka no próximo fim de semana

Depois da nossa boa corrida em Cingapura, esperávamos que o GP da Malásia fosse um pouco mais difícil para - graças às longas curvas do circuito de Sepang que sabíamos que não seriam ideais para nós.

E nada que vi na sexta-feira me fez mudar de ideia, já que era muito difícil avaliar onde estávamos.

Havia as condições meteorológicas difíceis de lidar com o primeiro treino tendo que compreender o traçado e, em seguida. O segundo treino foi cortado por causa da bandeira vermelha, depois que Romain Grosjean atingiu a tampa do bueiro.

Portanto, definitivamente não era um dia ideal. Eu não estava realmente sentindo 100% confortável no carro.

Mas então tudo mudou para melhor no sábado. Fizemos algumas mudanças muito boas no carro, e tínhamos uma configuração diferente. Fizemos parcialmente isso porque Fernando Alonso tinha algumas peças diferentes no carro que não tínhamos.

No treino final fiquei muito mais confiante e desde a primeira volta o carro foi muito melhor, e o ritmo que mostramos de manhã elevou nossas esperanças de uma boa classificação.

Consideramos que houve uma chance de se classificar dentro do top-10, e tudo parecia estar em curso para isso quando tivemos algumas boas voltas no Q1 e depois algumas voltas muito fortes no Q2.

Então, no Q3, vimos o quão perto estávamos das Renaults, Force Indias e Fernando, e vimos a oportunidade de vencer alguns desses carros.

Dei tudo e foi uma ótima classificação. Terminei em sétimo, com apenas uma Force India na nossa frente e foi ótimo.

Antes da corrida, pensávamos que seria muito difícil para nós manter a Force India e a Williams para trás, já que normalmente são um pouco mais fortes em condições de corrida do que nós.

Mas fiz um bom começo e estava em quinto lugar por algumas voltas. Estávamos nos segurando muito bem nesse ponto, mas então ficou difícil manter Sergio Perez atrás, pois ele estava muito mais rápido.

Ele finalmente encontrou um jeito, mas continuamos acelerando e, depois de um bom pit stop, saí muito perto dos carros da Williams. Esse foi definitivamente um ponto chave da corrida, já que eu realmente tive que usar meus cotovelos na curva 1 para acelerar meu caminho.

Uma vez que o trabalho terminou, eu tratei de controlar a diferença para Lance atrás de mim. Eu tinha que me certificar de que ele não entrou na área de DRS, e eu também tive que economizar pneus e combustível ao mesmo tempo. Não foi fácil, mas uma vez que chegamos perto do final da corrida, eu sabia que tinha um ritmo na mão - e na última volta consegui abrir uma grande diferença para ele.

Os pontos do sétimo lugar me levaram à frente de Fernando no campeonato de pilotos, que muitas pessoas comentaram após a corrida. No entanto, isso não é realmente importante nesta fase, porque não estamos em uma posição em que estamos competindo por um campeonato mundial. Mas marcar alguns pontos para a equipe é sempre importante.

Sabemos que é muito difícil marcar pontos em cada corrida, e não temos muitas oportunidades para conseguir. Ainda há algumas corridas e espero poder marcar mais pontos. Se, no final da temporada eu ainda estiver à frente, então será legal com certeza.

Em seguida, será Suzuka e estou ansioso para isso. Passei muito tempo no Japão correndo na Super Formula. O circuito é uma das melhores pistas do mundo.

Em termos de resultados, é difícil saber o que esperar. Só precisamos ir para o fim de semana mais otimistas, tentar aproveitar ao máximo e dar aos fãs japoneses um ótimo show.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Pista Sepang International Circuit
Pilotos Stoffel Vandoorne
Equipes McLaren
Tipo de artigo Conteúdo especial
Topic Stoffel Vandoorne