Com anti-clímax e acidente, Hamilton vence no Japão

Tensão marcou a prova, que foi encerrada antes do final após incidente incomum com Jules Bianchi, da Marussia

A tensão marcou o GP do Japão do começo ao fim: no início, pelas condições climáticas complicadas devido ao tufão que passa na costa japonesa, e, no fim, pelo acidente com Jules Bianchi durante o atendimento dos comissários a Adrian Sutil, que batera no mesmo local momentos antes. O ocorrido acabou provocando o encerramento da prova com nove voltas para o final. Ultrapassando Nico Rosberg na pista, Lewis Hamilton venceu e aumentou sua vantagem na liderança do campeonato para 10 pontos. O alemão foi o segundo e Sebastian Vettel foi o terceiro.

LEIA MAIS:

Como era previsto desde durante a semana, com a expectativa da passagem de um tufão nos arredores da pista de Suzuka, choveu bastante durante o domingo e a largada teve de ser sob regime de Safety Car. Depois de duas voltas, após muitas reclamações dos pilotos pela falta de visibilidade e uma escapada de Marcus Ericsson, foi dada bandeira vermelha.

[publicidade] A chuva deu uma trégua e uma nova largada foi dada às 14h25 pelo horário local, novamente com o Safety Car. Logo nas primeiras curvas, a Ferrari de Fernando Alonso parou de funcionar, aparentemente com uma falha elétrica, e o espanhol abandonou a corrida.

Com seis voltas, os pilotos começaram a indicar que as condições tinham melhorado e que já poderiam correr sem o Safety Car. Na décima volta, a corrida finalmente teve sua largada, com Rosberg liderando Hamilton, Bottas, Massa, Ricciardo, Magnussen, Vettel, Raikkonen, Perez e Kvyat, enquanto Button foi o primeiro a apostar e colocar os pneus intermediários. Com a largada sob Safety Car, todos foram obrigados a iniciar a prova com pneus de chuva.

A estratégia se mostrou acertada. Na volta seguinte, houve um congestionamento no box: Bottas, Ricciardo, Raikkonen, Magnussen, Perez, Kvyat trocaram seus pneus. Na volta seguinte, foi a vez de Massa e Vettel, que acabou ganhando a posição de Magnussen e Ricciardo, subindo para quinto e pressionando Massa.

Na volta 14, foi a vez da Mercedes parar, primeiro com Rosberg. Seguindo com pneus de chuva extrema, Hamilton chegou a fazer o melhor primeiro setor da corrida, mas saiu da pista no segundo e, com isso, não conseguiu voltar à frente de Rosberg quando fez sua parada.

Após todas as paradas, o lucro de Button por parar antes apareceu: o inglês era o terceiro colocado, logo atrás das Mercedes. Mais atrás, Massa era pressionado e ultrapassado por ambas as Red Bull. Pouco tempo depois, a vítima foi Bottas, com direito a bela manobra de Ricciardo.

Com 20 voltas completadas, Rosberg liderava com 1s1 de vantagem para Hamilton, seguido por Button, Vettel, Ricciardo, Bottas, Massa, Hulkenberg, Raikkonen e Kvyat.

Na 29ª volta, após longa perseguição, Hamilton conseguiu superar Rosberg e assumiu a liderança. Ajudado pelo DRS, o inglês passou o companheiro por fora na primeira curva. Nas voltas seguintes, ficou claro que Rosberg estava bem mais lento.

Ao antecipar sua segunda parada, Vettel conquistou o terceiro lugar de Button. Rosberg logo parou e Hamilton fez o mesmo no final da volta 35. Com isso, Ricciardo assumiu a ponta. Após fazer sua parada, o australiano voltou logo atrás de Button, chegou a colocar de lado, mas o inglês resistiu, lutando pelo quarto lugar com 12 voltas para o final, quando a chuva voltou a cair e os primeiros pilotos voltaram a colocar pneus para chuva extrema.

Logo após perder a posição para Ricciardo, Button voltou para os boxes para colocar pneus de pista molhada, novamente sendo o primeiro a mudar a estratégia entre os primeiros colocados.

Com 10 voltas para o fim, Sutil bateu e trouxe o Safety Car novamente para pista. A apreensão só aumentou quando foi dada a bandeira vermelha e a ambulância entrou na pista pois, de uma maneira que não foi mostrada na transmissão, Jules Bianchi, da Marussia, teria se envolvido no acidente enquanto o carro de Sutil era içado.

Com clima tenso, a prova foi declarada encerrada com a vitória de Lewis Hamilton, Nico Rosberg em segundo e Sebastian Vettel em terceiro, mas com comemorações apenas tímidas. Daniel Ricciardo foi o quarto, seguido por Jenson Button, Valtteri Bottas, Felipe Massa, Nico Hulkenberg, Jean-Eric Vergne e Sergio Perez.

A Fórmula 1 retorna no próximo final de semana, no GP da Rússia.

Classificação do GP do Japão

1. Lewis HamiltonGrã-Bretanha Mercedes-Mercedes 44 laps 1hr 00m 04.795s 
2. Nico RosbergAlemenha Mercedes-Mercedes +00m 09.1s 
3. Sebastian VettelAlemanha Red Bull-Renault +00m 29.0s 
4. Daniel Ricciardo Austrália Red Bull-Renault  +00m 38.6s 
5. Jenson Button Grã-Bretanha McLaren-Mercedes +01m 07.3s 
6. Valtteri Bottas Finlândia Williams-Mercedes +01m 53.5s 
7. Felipe Massa Brasil Williams-Mercedes +01m 54.8s 
8. Nico Hulkenberg Alemanha Force India-Mercedes +01m 55.6s 
9. Jean-Eric VergneFrança Toro Rosso-Renault +02m 07.2s 
10. Sergio Perez México Force India-Mercedes

11. Daniil Kvyat Rússia Toro Rosso-Renault
12. Kimi Raikkonen Finlândia Ferrari-Ferrari
13. Esteban Gutierrez México Sauber-Ferrari
14. Kevin Magnussen Dinamarca McLaren-Mercedes
15. Pastor MaldonadoVenezuela Lotus-Renault
16. Romain Grosjean França Lotus-Renault
17, Marcus Ericsson Suécia Caterham-Renault
18. Max ChiltonGrã-Bretanha Marussia-Ferrari
19. Kamui Kobayashi Japão Caterham-Renault

Abandonaram
Jules BianchiFrança Marussia-Ferrari 42 3 voltas completadas 
Adrian SutilAlemanha Sauber-Ferrari 41 voltas completadas 
Fernando AlonsoEspanha Ferrari-Ferrari 3 voltas completadas 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias