Com clima normal, Vergne crê que GP da China mostre realidade do grid

Piloto francês acredita que GP da Malásia, pela chuva, não deu um parâmetro ideal de forças do campeonato

Vergne foi 10º na Malásia

Décimo colocado no último GP, Jean-Éric Vergne começou bem sua segunda temporada na F-1. O piloto está à frente do companheiro de equipe Ricciardo, lugar onde terminou no ano passado na escuderia Toro Rosso.

Após dois fins de semana afetados pela chuva, o francês não crê que possa dizer que o panorama de forças mostrado nestes GPs seja o real. Jean-Éric acha que o GP da China, se tiver bom clima, deverá mostrar como estão as coisas de fato.

“Muitas pessoas dizem que a Malásia, por ser a primeira pista permanente do ano, daria uma indicação da ordem de forças, mas, honestamente, com a chuva, o calor e tudo isso, acho que é muito cedo para dizer”, opinou o piloto do carro número 18. “Se estiver quente na China, nós talvez tenhamos uma ideia melhor, mas no ano passado estava congelando de tão frio”, lembrou.

O piloto tem confiança de que o STR8 tem potencial e pode estar mais vezes nos pontos daqui para frente. “Acho que o ritmo é encorajador. Tive a quarta melhor volta na Malásia. Sim, foi com pneus macios novos e pouco combustível, mas era o mesmo para todo mundo naquela parte da corrida. A performance definitivamente está no carro”.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da China
Tipo de artigo Últimas notícias