Com novo calendário, Grosjean lamenta ver França fora da F1

Novo piloto da equipe Haas, francês destaca que calendário do campeonato não tem espaço pra todos os países

Com a volta do GP da Alemanha e a entrada do Azerbaijão, a próxima temporada tem até aqui 21 provas confirmadas. Continuando assim, 2016 terá o maior ano em toda a história da Fórmula 1.

Para Romain Grosjean, é uma pena que o campeonato não corra mais na França. O piloto, atuando na categoria desde 2009, jamais pôde correr em seu país natal apesar de ter feito corridas de GP2.

"Eu acho que foi realmente muito legal ver em 2015 o México voltar. Tivemos uma calorosa recepção de todos os fãs, foi um fim de semana incrível", disse Grosjean.

"Mas eu gostaria de ver Magny-Cours de volta ao calendário. Seria o GP da França, algo único para mim. Paris? O trânsito não é tão bom. O que eu gostaria é de um GP da França.

"Em um mundo ideal, você gostaria de fazer todas essas corridas, mas não é possível. Acho que seguimos o calendário e gostamos de descobrir novos lugares, mas ir para Silverstone, Alemanha ou Barcelona é sempre muito especial."

Magny-Cours sediou um GP da França pela última vez em 2008, e, desde então, houve uma melhoria do acesso ao circuito. A pista trabalha para um retorno potencial no futuro. O circuito também sediou um teste de jovens pilotos em 2012.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Romain Grosjean
Tipo de artigo Últimas notícias