Com pneus mais duros, Pirelli espera que pilotos forcem o ritmo

O diretor esportivo da marca italiana, Paul Hembery, explica a opção pelos compostos duros e médios para o GP da Bélgica

Os pneus duros foram usados pela última vez  em Silverstone

Prevendo vida difícil para os pneus no GP da Bélgica, a Pirelli levará a Spa-Francorchamps os compostos mais duros de sua escala, o duro e o médio. Com isso, o diretor esportivo da marca italiana, Paul Hembery, espera que os pilotos possam apertar o ritmo sem se preocupar tanto com o desgaste.

“É certamente um dos circuitos mais duros que enfrentamos em todo o ano em relação aos pneus, devido às altas velocidades e forças extremas envolvidas, que normalmente atuam sobre os pneus em mais de uma dimensão. A escolha do duro e médio permitirá que os pilotos forcem bastante do começo ao fim.”

Spa é um dos circuitos mais velozes do calendário, no qual os pilotos ficam com pé embaixo por quase 75% da volta, número superado apenas por Monza. Porém, ao contrário do circuito italiano, na Bélgica as curvas de alta de raio longo fazem com que diversas forças atuem ao mesmo tempo nos pneus.

Hembery destacou a imprevisibilidade desta temporada, que deve continuar em sua segunda metade.

“Vimos um dos inícios de ano mais competitivos da história da F-1, então estou ansioso para ver como será o resto de 2012 e quais as equipes que mais evoluíram durante a pausa de verão. O grid atual está muito apertado, assim é difícil prever.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Tipo de artigo Últimas notícias