Com ultrapassagem fácil, Hamilton vence, mas não celebra

Líder do campeonato diz que fez curva "normalmente" ao superar Rosberg e reclama de demora do Safety Car

Lewis Hamilton venceu a terceira prova seguida e aumentou para 10 pontos sua folga na liderança do campeonato de pilotos, mas não comemorou. Tão logo desceu do carro, foi avisado pelo chefe da Mercedes, Toto Wolff, da gravidade do acidente de Jules Bianchi, que causara o encerramento precoce do GP do Japão.

[publicidade] “Na primeira vez que passamos por lá depois que o Safety Car entrou na pista, havia um carro. Na segunda, havia dois. Mas a visibilidade era muito baixa, não havia muita luz, mas deu para ver que o carro estava bem destruído. Não sei bem o que aconteceu, só pensei que ‘seja quem for, espero que esteja bem’.”

Hamilton não acredita que tenha havido um erro da direção de prova no caso do acidente, como alguns pilotos defenderam após a prova. O primeiro acidente, de Adrian Sutil, trouxe uma bandeira amarela localizada, avisando que os pilotos deveriam tirar o pé. Só quando Bianchi também bateu no local que o Safety Car foi acionado.

“Não acho que o Safety Car tenha demorado. Lembro de ter tirado bem o pé quando vi o incidente. Foi um acidente infeliz, só espero que ele esteja bem.”
Mesmo assim, Lewis não deixou de criticar a direção de prova. O inglês foi um dos pilotos que mais reclamou via rádio pela demora a reiniciar a corrida logo em suas primeiras voltas. O GP, que começou com Safety Car, sofreu uma paralização e teve uma segunda largada, também com o carro de segurança, na terceira volta. Mas a bandeira verde só foi dada na volta nove. Tarde demais, para Hamilton.

“Acho que, no começo, quando largamos da primeira vez, a situação era muito difícil. Nas, na segunda relargada, ficamos atrás do Safety Car por muito tempo enquanto a pista estava muito boa. Eu queria correr.”

E, quando a bandeira verde foi dada, Hamilton mostrou serviço. O inglês tinha um rendimento melhor com os pneus intermediários e superou o companheiro e rival na disputa pelo título, Nico Rosberg, na curva um com uma inesperada facilidade.

 “Eu tinha muito mais ritmo, chegava confortavelmente perto dele, mas é muito difícil ultrapassar nesta pista. O bom foi que, como estava molhado, eu conseguia usar trajetórias diferentes, então fazia o contrário do que ele estava fazendo. Isso permitiu que eu me mantivesse perto. No final da reta, não sei por que ele freou cedo e eu só fiz a curva como eu normalmente faço”, revelou.

Com o resultado, Hamilton agora soma 266 pontos, contra 256 de Rosberg. Faltam quatro corridas para o final e 125 pontos ainda estão em jogo.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias