Como a Honda aprendeu uma lição crucial na F1 em 2018

compartilhar
comentários
Como a Honda aprendeu uma lição crucial na F1 em 2018
Por:
23 de dez de 2018 09:33

A mudança brusca da FIA que pegou a Honda no contrapé antes do GP do Japão ajudou a fabricante da F1 a obter uma importante descoberta com a entidade regulamentadora em 2018.

A Honda teve de abortar uma mudança planejada em seu motor em Suzuka depois de ser “surpreendida” por uma instrução antes do começo da prova para voltar às configurações de retardo de ignição que havia usado na classificação.

Um pedido por escrito para fazer esta mudança em condições de parque fechado havia sido aprovado pelo delegado técnico da FIA, Jo Bauer.

A Honda estava insatisfeita com a mudança aparentemente tardia, mas a questão provocou uma discordância quanto ao propósito e o impacto da alteração.

Isso fez com que a Honda escrevesse à FIA para esclarecer como a decisão foi tomada. Isso se mostrou crucial para estabelecer uma relação de colaboração com a entidade, já que a tentativa da Honda em alcançar Mercedes e Ferrari exigirá ler nas entrelinhas.

“Isso mostra o quão importante é a comunicação”, disse o chefe de automobilismo da Honda, Masashi Yamamoto, ao Motorsport.com. “O que aconteceu é que as regras atuais da FIA são realmente complicadas.”

“Então, entender as mudanças nos dados parece diferente dependendo do ponto de vista. Da perspectiva da Honda, pensamos que estávamos certos, mas a FIA pensava que o ponto de vista deles era o certo. Não podemos dizer qual era certo, mas é desta diferença que vem a compreensão.”

“Agora, temos uma grande compreensão em conjunto.”

Além da performance de pista e confiabilidade, a Honda vê a comunicação como uma grande diferença que teve com a Toro Rosso na temporada em comparação aos ano

“Franz nos deu alguma informação sobrea FIA, os recursos da FIA, as regras também.”

“Nós falamos diretamente também, mas a equipe nos apoia em termos de pontos chaves do regulamento.”

O progresso na comunicação com a FIA representa um passo significativo para a Honda, que também reconheceu o impacto das diferenças de cultura entre os europeus e os japoneses.

Por mais que Yamamoto esteja feliz com as melhoras até o momento, ele acredita que será fundamental para a Honda ter uma relação mais direta em termos de comunicação com a Red Bull.

“Pelo menos em comparação com os últimos três anos, este tipo de comunicação amigável e mútua entre FIA ou FOM está melhorando muito”, disse.

“Acho que a forma com que nos comunicamos com a FIA em Suzuka não foi exatamente a correta, mas, agora, tudo está claro.”

“A tendência das pessoas japonesas em termos de personalidade é ser um pouco hesitante para dizer algo a alguém.”

“Mas este é o automobilismo. Temos de vencer juntos. Então, para fazer isso acontecer, temos de ter uma comunicação mais aberta.”

“Devo dizer mais o que pensamos. É essa a coisa importante.”

Next article
Russell se diz “pronto para o desafio” ao chegar à F1

Previous article

Russell se diz “pronto para o desafio” ao chegar à F1

Next article

Giovinazzi: foco é fazer meu melhor, não imitar Leclerc

Giovinazzi: foco é fazer meu melhor, não imitar Leclerc
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell