Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Como a melhora do motor Ferrari mudou a suspensão do SF16-H

compartilhar
comentários
Como a melhora do motor Ferrari mudou a suspensão do SF16-H
Franco Nugnes
Por: Franco Nugnes
16 de mar de 2016 13:44

Enquanto a Ferrari apareceu nos testes sem nenhuma inovação aparente em seu carro, a Mercedes mostrou uma série de peças radicais

Porém, é errado pensar que a equipe de Maranello não desenvolveu ao limite seu novo SF16-H.

Nós já sabemos que a equipe italiana concluiu um desenvolvimento agressivo de sua unidade de energia este ano. Agora, falamos das grandes mudanças na parte traseira do carro, que também irão ajudar com o desempenho aerodinâmico e no manuseio de pneus.

Caixa de câmbio

Como a Mercedes, a Ferrari continuou a incorporar a ideia de um uma caixa protetora de carbono para seu câmbio, proporcionando à equipe a opção de fazer mudanças pontuais durante o ciclo de utilização da caixa de velocidades.

O câmbio precisa durar cinco GPs sem alterações, caso contrário o piloto perde dez posições no grid. Essa mudança de design traz muitos benefícios.

Ele permite que a equipe construa várias caixas exteriores durante a temporada. Isso fornecerá à equipe e aos pilotos uma janela operacional muito maior em termos de acertos.

A geometria da suspensão também pode ser alterada de modo a influenciar não só a cinética, mas a tração e a aerodinâmica também. 

 

Ferrari F2004 and Mercedes W04 gearboxes
Câmbios da Ferrari F2004 e da Mercedes W04

Giorgio Piola

A Mercedes utiliza esta configuração desde antes do início da era híbrida (2013), mas não é a primeira vez que vemos isso na F1.

Isso remete a 2004, quando a Ferrari usou uma caixa sob um design influenciado por Aldo Costa - que agora está na Mercedes.

 

Ferrari SF16H and SF15T gearbox comparison
Comparação de câmbios Ferrari SF16H e SF15T

Giorgio Piola

Mudança na suspensão

Como podemos ver na figura, o movimento do MGU-K a partir da parte traseira do motor de combustão interna até a margem inferior esquerda do V significa que todo o conjunto pode estar mais apertado.

Isso também permitiu a parte inferior da estrutura fosse levantada, permitindo o fluxo de ar operar sobre o difusor.

Ferrari SF15T an SF16H rear suspensions
Suspensões Ferrari SF15T e SF16H

Giorgio Piola

O carro mais estreito significa que os componentes da suspensão também estão mais próximos da linha central do carro.

Isso irá mudar a posição da barra de tração, enquanto que as superfícies aerodinâmicas dos triângulos foram também alteradas.

Assim como benefícios aerodinâmicos, as alterações de suspensão podem muito bem ajudar a permitir um melhor equilíbrio nas curvas e ser gentil com os pneus, o que pode trazer lucros nas corridas deste ano.

Isso pode explicar por que a equipe optou por experimentar todos os compostos de pneus no teste de pré-temporada em Barcelona.

Próxima Fórmula 1 matéria
Galeria: o que está em jogo para os 22 pilotos da F1 em 2016

Previous article

Galeria: o que está em jogo para os 22 pilotos da F1 em 2016

Next article

Magnussen diz não ver sentido em restrição de rádio

Magnussen diz não ver sentido em restrição de rádio
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari Shop Now
Autor Franco Nugnes
Tipo de matéria Análise