Companheiros desde a F-Renault, Ricciardo diz não ser próximo a Vergne

"Não acredito que companheiros de equipe sejam grandes amigos", afirma o australiano da Toro Rosso

A “briga de foice” para permanecer e subir na F-1 faz parte do esporte há tempos. Daniel Ricciardo disse em evento na Austrália hoje o que muitos sabem que é necessário para ser bem visto por sua equipe e pela mídia em geral: bater seu companheiro de equipe.

No caso de Daniel, a briga é mais apertada ainda, já que terminou o ano passado atrás de Vergne e a Red Bull, pelo histórico, já provou que não poupa pilotos que não correspondem à expectativa em sua equipe menor.

“Competimos há alguns anos e a relação se tornou mais competitiva porque muito está em jogo”, contou Ricciardo.

“Não acredito que companheiros de equipe sejam grandes amigos. Acho que Mark [Webber] pode responder essa pergunta também.”

“É assim que deve ser. Se você for muito próximo a alguém, você provavelmente não dará 110% contra ele, então é bom ter esse espírito de luta.”

O australiano disse também que não sabe qual será sua realidade no grid neste ano, mas manteve o olhar otimista. “Pódios seriam ótimos, mas temos de ver onde estamos, e o quão competitivos estamos como equipe.”

“Se eu e Jean-Éric [Vergne] estivermos andando juntos esse ano, não será o suficiente”, finalizou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias