Confira o que muda nas conversas de rádio em 2016

compartilhar
comentários
Confira o que muda nas conversas de rádio em 2016
Pablo Elizalde
Por: Pablo Elizalde
17 de mar de 2016 19:04

Em meio ao aumento das restrições nas comunicações via rádio entre piloto e equipe, impostos para a temporada 2016 da Fórmula 1, a FIA divulga documento restringindo ainda mais conversas durante treinos e corridas

Em um comunicado enviado por Charlie Whiting, diretor de provas da Fórmula 1, antes da ida para a Austrália, foi divulgada uma nova lista de limitações referentes à comunicação via rádio entre equipes e pilotos. Na atualização, houve um aumento do rigor nas restrições.

Além de esclarecer alguns pontos discutidos anteriormente, outro destaque são as comunicações que antes eram permitidas e mudaram de patamar no novo documento disponibilizado por Whithing.

O documento

A. Restrições nas comunicações da equipe para o piloto

As restrições se aplicam:

- A todas as comunicações direcionadas ao piloto, incluindo - mas não se limitando - rádio e placas no muro do pitlane;

- Em todos os momentos em que o carro sair da garagem com o piloto, exceto nos momentos em que o carro passar pelo pitlane nas voltas de reconhecimento antes do posicionamento no grid de largada.

A seguir, a lista das mensagens permitidas.

Se qualquer outra mensagem, incluindo as listadas abaixo, for utilizada com um propósito distinto do original (incluindo um comando para o piloto), o ato será considerado como um desrespeito ao artigo 20.1 do regulamento esportivo e a situação será encaminhada para os comissários de prova:

1. Certificação de que mensagem do piloto foi compreendida;

2. Indicação de um problema crítico com o carro; qualquer mensagem neste sentido só poderá  ser utilizada se a falha de um componente ou sistema for iminente e levar o carro a parar;

3. Informações referentes a danos estruturais no carro;

4. Instruções para selecionar padrões com o intuito de impedir a perda de função de um sensor ou controle cuja degradação ou falha não tenha sido detectada de dentro do carro. De acordo com o artigo 8.2.4, qualquer novo ajuste neste sentido não pode melhorar o desempenho do carro antes de resolver o problema da perda de função;

5. Instruções para entrar nos boxes para reparar o carro ou abandonar a prova;

6. Indicação de um problema no carro de um adversário;

7. Informações referentes às decisões da direção de prova (bandeira vermelha, bandeira amarela, safety car, safety car virtual, largada cancelada ou instruções similares);

8. Repassar uma mensagem da direção de prova (exceto pela contagem regressiva para a volta de apresentação e o aviso para um piloto de que o último carro já se posicionou no grid ao final da volta de apresentação);

9. Pista molhada, óleo ou detritos em trechos da pista;

10. Informações sobre o clima;

11. Informações referentes aos tempos em cada setor da pista na volta do próprio piloto

12. Tempo de volta de um adversário;

13. Avisos sobre tráfego e diferenças em relação a outros competidores durante treinos ou corridas;

14. Instrução para troca de posições com outros pilotos;

15. Número de voltas ou tempo restantes durante uma corrida ou treino;

16. Posição durante os treinos ou a corrida;

17. 'Aumente o ritmo até o limite', 'acelere agora', 'você está disputando com xx', 'alivie o ritmo' ou mensagens similares (um aviso será dado sobre uso suspeito de mensagens de encorajamento como código para outras funções);

18. Para entrar nos boxes (ou ir para o grid durante as voltas de reconhecimento), qualquer mensagem neste sentido só poderá ser usada se o piloto entrar nos boxes naquela volta;

19. Lembretes para acionar o limitador de velocidade, mudança nas configurações de pneu para ajustar com o composto utilizado no momento ou para avisar sobre a linha de saída dos boxes, pequenos postes ou avisos para seguir para a pesagem obrigatória;

20. Descumprimento das regras de pista por parte do companheiro de equipe ou de outro competidor, como passar reto em chicanes, saídas de pista, punições a serem aplicadas, etc;

21. Aviso sobre permissão do uso da asa móvel, bem como o impedimento;

22. Lidar com uma falha no sistema de asa móvel;

23. Vazamento de óleo;

24. Sequência de comandos para teste durante treinos livres (exemplo: mapeamento aerodinâmico);

O que foi removido

Além de detalhar o que é permitido, o último documento divulgado pela FIA chama atenção por apresentar um entendimento sobre itens que anteriormente eram permitidos e agora não são mais.

Os itens removidos foram:

  • Diferenças para um adversário durante treinos ou corridas;
  • Fornecer informações sobre diferenças entre os carros na classificação para encontrar a melhor posição para uma volta limpa;
  • Escolha de pneus para o pit stop seguinte;
  • Quantidade de voltas que outro competidor completou com um jogo de pneus;
  • Composto utilizado por um adversário;
  • Informações referentes as possibilidades de estratégia de um competidor;
  • Janela de Safety Car
  • Mudança de ajuste na asa dianteira no pit stop seguinte;
  • Lembretes sobre os limites da pista;
  • Voltas restantes para o final da prova.
Próxima Fórmula 1 matéria
Veja capacetes dos 22 pilotos que estarão no GP da Austrália

Previous article

Veja capacetes dos 22 pilotos que estarão no GP da Austrália

Next article

Veja como foram os treinos livres para o GP da Austrália de F1

Veja como foram os treinos livres para o GP da Austrália de F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Pablo Elizalde
Tipo de matéria Análise