Damon Hill está receoso sobre a realização do GP do Bahrein

Protestos em Manama - capital do país - não cessam, e preocupação do ex-campeão mundial é com o povo barenita

Hill está preocupado com o povo barenita

Mesmo que Bernie Eccleston, o chefão da Fórmula 1, acredite que o Grande Prêmio do Bahrein acontecerá sem problemas maiores, o ex-campeão Damon Hill acredita que as coisas não são bem assim.

Cancelado ano passado pelos mesmos protestos contra  governo, fazer o GP barenita de 2012 na data prevista, para Hill, é para se preocupar.

"As coisas estão diferentes agora", disse Hill ao 'The Telegraph'. "Os protestos não pararam, mas pelo contrário, estão cada vez mais claros e organizados. É uma situação preocupante. O que temos de colocar sobre a mesa, acima de tudo, é o custo em vidas humanas que poderá ocorrer se a prova for disputada", contou Hill.

Na segunda metade do ano passado, o inglês viajou com o presidente da FIA Jean Todt para avaliar a situação no país. Naquela época ficou otimista, mas agora está mais apreensivo.

"Seria ruim para a Fórmula 1 ter que implementar uma lei marcial para fazer a corrida. Isso não é o que o esporte deve fazer. As condições parecem ter melhorado a julgar pelos relatórios em jornais europeus, mas temos que ter cuidado."

"É evidente que ainda há muita dor, raiva e tensão no Bahrein. Eu acho que a F1 está navegando muito próximo a este limite. Mas há um pensamento mais perturbador: "A Fórmula 1 está indo por razões puramente financeiras, enquanto as pessoas estão colocando suas vidas em risco para protestar contra este evento?"

A prova do Bahrein está marcada para o dia 22 de abril, em Sakhir.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias