De Piquet a Senna, confira os brasileiros que já dirigiram para a Williams

Felipe Massa se tornará sexto piloto do Brasil a iniciar corridas pela equipe de Frank Williams no ano que vem

Uma das equipes mais tradicionais do automobilismo, a Williams já teve em seu line-up oficial cinco brasileiros desde que virou construtora no ano de 1978. Felipe Massa será o sexto piloto a correr na equipe de Grove, que luta para voltar pelo menos à zona de pontos com alguma frequência durante o ano de 2014. Confira:

Nelson Piquet

O piloto conquistou o terceiro título de sua carreira em 1987, após dois anos de desavenças com a equipe. Piquet assinou o contrato com o time inglês para 1986 diretamente com o proprietário, Frank Williams. Nelson teria status de primeiro piloto, no entanto, com o acidente de rua que deixou Frank paraplégico no início do ano, o brasileiro foi preterido no time por Nigel Mansell durante sua primeira temporada na equipe. Mesmo assim, Piquet utilizou-se de jogo psicológico para desestabilizar o inglês em 1987. Mesmo atrapalhado por um forte acidente nos treinos para o GP de San Marino, Nelson se sagrou campeão no Japão, quando Mansell bateu forte ainda na sexta-feira e não participou das duas últimas provas.

Temporadas: 1986, 1987
Melhor resultado: 7 vitórias (GP do Brasil 1986, GPs da Alemanha, Hungria e Itália 1986 e 1987)
Melhor posição no campeonato: Campeão em 1987 (73 pontos)

Ayrton Senna

O tricampeão desembarcou em Grove com grandes ambições em 1994. Entretanto, sem a suspensão eletrônica, destaque dos projetos da Williams no início dos anos 90, o FW16 nasceu nervoso e difícil de guiar. Mesmo assim, utilizando sua aptidão e velocidade bruta, Ayrton cravou as três poles das corridas que participou, no entanto abandonou todas. O piloto rodou no GP do Brasil, abandonou na primeira curva após um toque de Mika Häkkinen no GP do Pacífico em Aida e sofreu seu acidente fatal na terceira corrida do ano, em Imola.

Temporada: 1994
Melhor resultado: Três poles
Melhor posição no campeonato: -

LEIA MAIS:

Antônio Pizzonia

Após uma passagem conturbada pela Jaguar em 2003, na qual foi substituído no meio da temporada, o brasileiro se tornou piloto de testes da escuderia de Grove levado pela sua patrocinadora, a Petrobras. O brasileiro teve sua grande chance em 2004, quando Ralf Schumacher sofreu grande acidente no GP dos EUA. Substituindo o primeiro piloto de testes da equipe, Marc Gené, a partir do GP da Alemanha, o piloto chegou em sétimo nas três corridas que completou até o GP da Itália. O piloto foi preterido em 2005 por Nick Heidfeld. No entanto, Antônio teve mais uma chance na equipe quando o alemão sofreu um acidente durante um teste. Pizzonia chegou em sétimo na Itália de novo, mas ficou aquém do desempenho do companheiro Webber nas corridas finais e nunca mais voltou à F-1.

Temporadas: 2004 e 2005
Melhor resultado: 7º (4x: GPs da Alemanha, da Hungria e Itália 2004 / GP da Itália 2005)
Melhor posição no campeonato: 15º (6 pontos, 2004)

Rubens Barrichello

Depois de ser o terceiro colocado no mundial de 2009, “ressuscitado” pela equipe Brawn, o destino de Barrichello foi a Williams um ano depois. O piloto conseguiu uma boa campanha em 2010, quando computou um quarto lugar como melhor resultado em Valência. No entanto, com um carro ruim em 2011, o brasileiro não conseguiu nada melhor do que dois nonos lugares e, graças aos problemas financeiros do time, perdeu seu lugar para Bruno Senna em 2012.

Temporadas: 2010, 2011
Melhor resultado: 4º (GP da Europa 2010)
Melhor posição no campeonato: 10º (47 pontos, 2010)

Bruno Senna

Podemos dizer que o brasileiro tenha tido sua grande chance na Fórmula 1 pela equipe de Grove. O sobrinho de Ayrton começou bem a temporada de 2012, pontuando na Malásia (com um sexto lugar, seu melhor resultado na Fórmula 1) e na China. No entanto, sua campanha regular, pontuando em 10 das 20 corridas, foi ofuscada pela pole position e vitória do companheiro Pastor Maldonado no GP da Espanha. Para piorar, o piloto se envolveu no acidente que quase tirou de Sebastian Vettel o título do ano passado no GP do Brasil. Senna foi preterido por Valtteri Bottas em 2013.

Temporada: 2012
Melhor resultado: 6º (GP da Malásia, 2012) 
Melhor posição no campeonato: 16º (31 pontos)

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias