De Piquet a Senna, confira os brasileiros que já dirigiram para a Williams

compartilhar
comentários
De Piquet a Senna, confira os brasileiros que já dirigiram para a Williams
Por: Gabriel Lima
12 de nov de 2013 09:40

Felipe Massa se tornará sexto piloto do Brasil a iniciar corridas pela equipe de Frank Williams no ano que vem

Uma das equipes mais tradicionais do automobilismo, a Williams já teve em seu line-up oficial cinco brasileiros desde que virou construtora no ano de 1978. Felipe Massa será o sexto piloto a correr na equipe de Grove, que luta para voltar pelo menos à zona de pontos com alguma frequência durante o ano de 2014. Confira:

Nelson Piquet

O piloto conquistou o terceiro título de sua carreira em 1987, após dois anos de desavenças com a equipe. Piquet assinou o contrato com o time inglês para 1986 diretamente com o proprietário, Frank Williams. Nelson teria status de primeiro piloto, no entanto, com o acidente de rua que deixou Frank paraplégico no início do ano, o brasileiro foi preterido no time por Nigel Mansell durante sua primeira temporada na equipe. Mesmo assim, Piquet utilizou-se de jogo psicológico para desestabilizar o inglês em 1987. Mesmo atrapalhado por um forte acidente nos treinos para o GP de San Marino, Nelson se sagrou campeão no Japão, quando Mansell bateu forte ainda na sexta-feira e não participou das duas últimas provas.

Temporadas: 1986, 1987
Melhor resultado: 7 vitórias (GP do Brasil 1986, GPs da Alemanha, Hungria e Itália 1986 e 1987)
Melhor posição no campeonato: Campeão em 1987 (73 pontos)

Ayrton Senna

O tricampeão desembarcou em Grove com grandes ambições em 1994. Entretanto, sem a suspensão eletrônica, destaque dos projetos da Williams no início dos anos 90, o FW16 nasceu nervoso e difícil de guiar. Mesmo assim, utilizando sua aptidão e velocidade bruta, Ayrton cravou as três poles das corridas que participou, no entanto abandonou todas. O piloto rodou no GP do Brasil, abandonou na primeira curva após um toque de Mika Häkkinen no GP do Pacífico em Aida e sofreu seu acidente fatal na terceira corrida do ano, em Imola.

Temporada: 1994
Melhor resultado: Três poles
Melhor posição no campeonato: -

LEIA MAIS:

Antônio Pizzonia

Após uma passagem conturbada pela Jaguar em 2003, na qual foi substituído no meio da temporada, o brasileiro se tornou piloto de testes da escuderia de Grove levado pela sua patrocinadora, a Petrobras. O brasileiro teve sua grande chance em 2004, quando Ralf Schumacher sofreu grande acidente no GP dos EUA. Substituindo o primeiro piloto de testes da equipe, Marc Gené, a partir do GP da Alemanha, o piloto chegou em sétimo nas três corridas que completou até o GP da Itália. O piloto foi preterido em 2005 por Nick Heidfeld. No entanto, Antônio teve mais uma chance na equipe quando o alemão sofreu um acidente durante um teste. Pizzonia chegou em sétimo na Itália de novo, mas ficou aquém do desempenho do companheiro Webber nas corridas finais e nunca mais voltou à F-1.

Temporadas: 2004 e 2005
Melhor resultado: 7º (4x: GPs da Alemanha, da Hungria e Itália 2004 / GP da Itália 2005)
Melhor posição no campeonato: 15º (6 pontos, 2004)

Rubens Barrichello

Depois de ser o terceiro colocado no mundial de 2009, “ressuscitado” pela equipe Brawn, o destino de Barrichello foi a Williams um ano depois. O piloto conseguiu uma boa campanha em 2010, quando computou um quarto lugar como melhor resultado em Valência. No entanto, com um carro ruim em 2011, o brasileiro não conseguiu nada melhor do que dois nonos lugares e, graças aos problemas financeiros do time, perdeu seu lugar para Bruno Senna em 2012.

Temporadas: 2010, 2011
Melhor resultado: 4º (GP da Europa 2010)
Melhor posição no campeonato: 10º (47 pontos, 2010)

Bruno Senna

Podemos dizer que o brasileiro tenha tido sua grande chance na Fórmula 1 pela equipe de Grove. O sobrinho de Ayrton começou bem a temporada de 2012, pontuando na Malásia (com um sexto lugar, seu melhor resultado na Fórmula 1) e na China. No entanto, sua campanha regular, pontuando em 10 das 20 corridas, foi ofuscada pela pole position e vitória do companheiro Pastor Maldonado no GP da Espanha. Para piorar, o piloto se envolveu no acidente que quase tirou de Sebastian Vettel o título do ano passado no GP do Brasil. Senna foi preterido por Valtteri Bottas em 2013.

Temporada: 2012
Melhor resultado: 6º (GP da Malásia, 2012) 
Melhor posição no campeonato: 16º (31 pontos)

Próxima Fórmula 1 matéria
Lotus não esconde decepção com Kimi: momento inoportuno

Previous article

Lotus não esconde decepção com Kimi: momento inoportuno

Next article

Como em 2012, GP de Austin não terá TV aberta no Brasil

Como em 2012, GP de Austin não terá TV aberta no Brasil
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Gabriel Lima
Tipo de matéria Últimas notícias