Décimo, Vergne lamenta que chuva tenha parado no Q3

Francês diz se sentir mais confortável na chuva e explica motivação para homenagem a Cevert em seu capacete

Quando estava chovendo, ele conseguiu fazer a diferença. Depois, na última parte da classificação, Jean-Eric Vergne teve de se contentar em colocar sua Toro Rosso em décimo lugar. Falando ao TotalRace, o francês lamentou que a água tenha parado de cair no final.

“Adoro essas condições, especialmente de pista molhada. Até conseguimos ficar no topo dos tempos quando estava chovendo. É uma pena que a água parou no Q3, mas é assim que funciona. Mas largar em décimo já é bom. Não posso reclamar.”

O piloto comentou ainda sobre a homenagem que traz em seu capacete para o compatriota François Cevert, morto em um acidente nos Estados Unidos, em 1973.

“Todos fazem um capacete especial para Mônaco, com ouro, jogadores de pôquer e coisas do tipo. Queria fazer algo diferente. Faz 40 anos que ele morreu e sua irmã fez um livro sobre ele neste ano. Ele foi o primeiro piloto francês famoso na Fórmula 1 e acho que foi uma grande idéia honrar seu nome.”

Seu companheiro, Daniel Ricciardo, se disse desapontado com o 12º lugar. “Foi uma oportunidade perdida. Não éramos rápidos com os intermediários e senti que poderia ter feito uma volta melhor com os supermacios caso tivesse mais uma volta para aquecê-los. O carro tem um bom ritmo em corrida, mas é difícil ultrapassar aqui, então sair em 12º não é o ideal. Precisamos de uma boa estratégia.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias