Demorou, mas Alonso e Raikkonen tiveram primeiro grande pega

Sentindo-se bem com o carro e fazendo estratégia diferente, finlandês deu trabalho para o espanhol no GP do Brasil

A briga entre os companheiros de Ferrari, Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, ficou longo das expectativas durante toda a temporada, mas acabou se concretizando nas últimas voltas do GP do Brasil. O espanhol largara em oitavo e havia superado Magnussen e herdado a posição de Bottas, mas acabou se encontrando com o finlandês na luta pelo sexto posto por uma questão estratégica: Raikkonen foi o único piloto a adotar a estratégia de duas paradas, o que lhe ajudou a conquistar seis pontos.

[publicidade] Perguntado se o companheiro acabou o atrapalhando na caça a Sebastian Vettel, que terminou em quinto, Alonso desconversou.

“Não acredito que isso tenha influenciado. Sebastian foi mais rápido do que nós por toda a corrida, especialmente na segunda metade e, no final, tivemos de economizar gasolina. Tanto eu, quanto Kimi estávamos tentando economizar e fomos tentando jogar com isso enquanto buscávamos lutar e quase acabamos nos encontrando. Acho que o sexto lugar foi mais do que justo.”   

Mesmo perdendo a batalha interna ao sofrer uma ultrapassagem com cinco voltas para o final, Raikkonen ficou muito satisfeito com o resultado, seu melhor desde o GP da Bélgica, em agosto.

“No geral, este foi um final de semana positivo para mim, senti-me muito bem no carro. Nas voltas finais, eu lutei com Button por algumas voltas e quando Fernando me pegou, a degradação dos pneus fez com que eu não conseguisse segurá-lo.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias