Dennis justifica demissão de Magnussen: “não atingiu metas”

CEO da McLaren vê dinamarquês capaz de atuar na Fórmula 1 no futuro, mas também revela: “demos oportunidades”

Piloto da McLaren até o dia 23 de outubro deste ano, quando recebeu um e-mail confirmando seu desligamento do time no dia do aniversário de 23 anos, Kevin Magnussen não tem nada definido para 2016.

O dinamarquês é o único piloto da McLaren a ter ido ao pódio nas três últimas temporadas. Mas isso não foi capaz de mantê-lo na equipe após o título do belga Stoffel Vandoorne (também membro do programa da McLaren) na GP2. Para o CEO do time, Ron Dennis, Magnussen não cumpriu seus objetivos.

"Demos todas as oportunidades. Ele fez uma temporada na Fórmula 1 com metas muito claras que ele tinha de alcançar em 2014. Ele não atingiu esses objetivos", disse Dennis.

"Ele conhece a si mesmo e, sem dúvida, ele sabe que ele não foi tão bem como deveria ter ido nesta temporada."

"Ele é um bom, piloto talentoso, mais do que capaz de dirigir na Fórmula 1. Mas existem vários pilotos capazes de dirigir na Fórmula 1 que por uma razão ou outra não têm essa oportunidade", acrescentou Dennis.

"Tanto ele como todos os pilotos que vêm e deixam a McLaren sempre obtêm o apoio contínuo se quiserem receber. Nós não ficamos longe de nossos pilotos e estamos sempre solidários a eles.”

"Nós nos preocupamos. Nós trazemos esses jovens e pagamos por suas carreiras. Nós pagamos pela carreira de Kevin e a de Lewis Hamilton. As pessoas também se esquecem, mas nós pagamos a carreira de Nico Rosberg no início."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Kevin Magnussen
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias