Os desafios de Monza: a prévia técnica do GP da Itália

Monza, palco da prova deste domingo, é mais um templo sagrado da F1. Conheça quais são os principais desafios de equipes e pilotos na “Pista Mágica”!

Monza é o circuito que mais recebeu GPs oficiais de F1. A prova deste domingo será a 67ª no local – o traçado ficou de fora somente em 1980.

Monza é o circuito que mais recebeu GPs oficiais de F1. A prova deste domingo será a 67ª no local – o traçado ficou de fora somente em 1980.
1/10

Photo by: Alessio Morgese

É a pista mais rápida de todo o calendário. Com 5,793 km de extensão, a pista teve sua pole position em 2016 na casa de 257 km/h de velocidade média.

É a pista mais rápida de todo o calendário. Com 5,793 km de extensão, a pista teve sua pole position em 2016 na casa de 257 km/h de velocidade média.
2/10

Photo by: XPB Images

Monza tem como principais características as longas retas, seguidas de chicanes ou de curvas de alta velocidade. A exceção é a Curva 1 – que passaria por mudanças em 2017, mas permaneceu como estava.

Monza tem como principais características as longas retas, seguidas de chicanes ou de curvas de alta velocidade. A exceção é a Curva 1 – que passaria por mudanças em 2017, mas permaneceu como estava.
3/10

Photo by: XPB Images

Assim, obviamente, os motores são muito exigidos, pois boa parte da volta é feita de pé cravado no acelerador: 79%. A expectativa é de que os carros superem os 350 km/h ao final da reta principal.

Assim, obviamente, os motores são muito exigidos, pois boa parte da volta é feita de pé cravado no acelerador: 79%. A expectativa é de que os carros superem os 350 km/h ao final da reta principal.
4/10

Photo by: XPB Images

Os freios também são bastante exigidos, especialmente na redução para a Curva 1 – onde os carros vão de 350 km/h para 90 km/h em poucos metros.

Os freios também são bastante exigidos, especialmente na redução para a Curva 1 – onde os carros vão de 350 km/h para 90 km/h em poucos metros.
5/10

Photo by: Williams F1

A Curva 1 também é um ponto crítico na largada. Situada 615 m à frente do grid, os carros chegam lá em alta velocidade para uma curva lenta e estreita, o que frequentemente causa colisões.

A Curva 1 também é um ponto crítico na largada. Situada 615 m à frente do grid, os carros chegam lá em alta velocidade para uma curva lenta e estreita, o que frequentemente causa colisões.
6/10

O câmbio não é tão exigido assim. Ao todo, são 36 trocas de marcha por volta, sendo que a 1ª marcha deve ser usada apenas para largada e pitstops.

O câmbio não é tão exigido assim. Ao todo, são 36 trocas de marcha por volta, sendo que a 1ª marcha deve ser usada apenas para largada e pitstops.
7/10

Photo by: XPB Images

São duas retas de DRS: um na reta principal, outra logo após a segunda curva Di Lesmo, no trecho intermediário.

São duas retas de DRS: um na reta principal, outra logo após a segunda curva Di Lesmo, no trecho intermediário.
8/10

Photo by: XPB Images

Por se tratar de uma pista bastante exigente com os pneus, a Pirelli levou compostos supermacios, macios e médios para o fim de semana em Monza. A estratégia vencedora em 2016 foi de uma parada.

Por se tratar de uma pista bastante exigente com os pneus, a Pirelli levou compostos supermacios, macios e médios para o fim de semana em Monza. A estratégia vencedora em 2016 foi de uma parada.
9/10

Mas olho no céu: há possibilidade grande de chuva para a sexta, com chances consideráveis para o sábado. No domingo, a expectativa é de sol.

Mas olho no céu: há possibilidade grande de chuva para a sexta, com chances consideráveis para o sábado. No domingo, a expectativa é de sol.
10/10

Photo by: XPB Images
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pista Monza
Tipo de artigo Conteúdo especial