Diretor da Mercedes diz que a F-1 não precisa de revolução técnica

Toto Wolff admite que gosta dos carros atuais, e entende que campeonato não deve mirar mudanças assim agora

Enquanto todos os times pregam por mudanças para movimentar o grid da Fórmula 1, os atuais campeões, a equipe Mercedes, pregam por cautela em tudo o que está sendo colocado pelas outras equipes. Para o diretor executivo da marca alemã na Fórmula 1, Toto Wolff, o campeonato não precisa de uma revolução técnica neste momento.

[publicidade]"Minha opinião pessoal é que o esporte em si não precisa de uma grande mudança", disse ele.

"Estamos a falando de mudar as regras ou do carro ou dos motores, e talvez isso não deva ser o alvo principal. Estamos em uma posição privilegiada como os campeões do mundo para estarmos bem com as regras, mas precisamos ter a mente aberta para a discussão e tomar partido.”

"A proposta da Ferrari é um pouco de uma provocação, que é o que eles disseram. Eu, pessoalmente, gosto de como estão os carros, e eu tenho certeza que isso é a Fórmula 1. No entanto, precisamos sentar e ver como podemos melhorar o campeonato no total.”

"Se nós concordamos que mudando a forma como o carro está com todas as consequências sobre a forma como se dirige - porque eles não deve ser tão esportivos - então vamos discutir se os carros têm de ser mais amplo, ter pneus maiores. Nós devemos isso à F-1, mas eu não acho que é um problema primário."
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias