Diretor de provas considera Massa culpado por acidente na largada

Charlie Whiting dá a entender que pedido de Ecclestone para evitar punições acabou "salvando" brasileiro

Um acidente como o de Felipe Massa e Kevin Magnussen na largada do GP da Alemanha poderia ter rendido uma punição ao brasileiro no início do ano. Porém, o brasileiro foi “salvo” por uma nova diretriz, solicitada pelo promotor da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, aos comissários há três provas.

[publicidade]O inglês pediu que o número de punições fosse menor durante as corridas, vide as queixas vindas do público. Desde então, a ordem é que só sejam distribuídas penas em acidentes com consequências graves, abusos claros ou quando o culpado por ser determinado de forma clara. “Vamos correr a corrida o maior tempo possível, queremos voltar a ver o esporte real e não interferências em cada pequeno incidente”, disse o dirigente.

Na Alemanha, o diretor de provas da FIA, Charlie Whiting, deu a entender que Massa foi considerado culpado pelo incidente com Magnussen e seria punido antes da mudança de postura. “Felipe deveria saber que numa largada haveria alguém na parte interna da curva. Ele deveria ter deixado espaço”, disse o inglês à Auto Motor und Sport. Outro motivo para o brasileiro ter sido poupado seria o fato dele ter saído da prova, ao contrário de Magnussen.

Outro exemplo da postura mais permissiva dos comissários foi na rodada de Adrian Sutil. Mesmo com a Sauber ficando parada em uma saída de curva, a decisão foi não acionar o Safety Car.
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias