Dirigente indiano aceita versão da Ferrari sobre caso da bandeira

Vicky Chandhok, presidente da Federação de Esportes a Motor, considera que homenagem à marinha italiana não tem motivação política

Carro de Alonso ostenta bandeira da Marinha

Continua repercutindo bastante a atitude da Ferrari de ter colocado uma bandeira da Marinha Italiana em seus carros que competem nesse fim de semana na Índia. Segundo o site da equipe, a ideia foi apoiar os dois marinheiros italianos que assassinaram dois pescadores indianos no início do ano – eles alegam que confundiram os pescadores com piratas - e estão proibidos de sair do país asiático.

Embora o próprio site tenha citado os marinheiros, o chefe da equipe italiana, Stefano Domenicali diz que não houve motivação política na homenagem à Marinha e que o time não quis se envolver nesta delicada questão diplomática.

O presidente da Federação Indiana de Esportes (FMSCI, na sigla em inglês) a Motor, Vicky Chandhok aceitou a versão de Domenicali. “Stefano Domenicali confirmou que a iniciativa da Ferrari de estampar a bandeira da Marinha Italiana não teve qualquer motivação política e não deve ser visto dessa forma”, disse o pai do piloto Karun Chandhok.

“O FMSCI segue o código da FIA, que diz que o automobilismo é apolítico e não religioso. Mas acredita que a atitude da Ferrari em levar a bandeira da marinha não terá qualquer efeito sobre o julgamento do caso nos tribunais indianos. O FMSCI não permitiria qualquer tentativa de politizar o GP da Índia”, completou o dirigente em comunicado emitido neste sábado.
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Índia
Tipo de artigo Últimas notícias