Domenicali: "Corremos o risco de impedir que surjam novas estrelas"

Chefe da Ferrari critica regulamento que restringe testes e diz que não vê nenhum grande piloto aparecendo no momento

Jules Bianchi testou com a Ferrari ano passado em Abu Dhabi

Stefano Domenicali acredita que a renovação dos pilotos na F-1 passe pelo aumento no número de testes oferecidos pelas equipes. Para o italiano, a falta de oportunidades de colocar jovens para andar com os carros da categoria devido ao regulamento restrito dificulta a aprendizagem e o aparecimento de novos talentos.

“Não quero falar negativamente sobre os pilotos, mas é claro que não estamos vendo nenhuma grande estrela surgindo como vimos no passado”, afirmou ao TotalRace.

“Se não organizarmos alguns testes com um F-1, esse problema se tornará cada vez maior . É por isso que tento convencer os demais de que a categoria tem que perceber que os testes na F-1 são fundamentais, não apenas para o desenvolvimento dos carros e da equipe, mas também para que haja uma nova geração de pilotos que terão a chance de crescer e de serem vistos.”

Os testes estão limitados desde 2009, sendo que, a partir de 2010, passou a ser organizada uma sessão de três dias destinados especialmente a jovens pilotos. Nos últimos dois anos, os trabalhos foram realizados em novembro em Abu Dhabi, mas neste ano serão três baterias – a primeira já aconteceu em Silverstone, a segunda será em setembro na França e a terceira seguirá nos Emirados Árabes Unidos, sendo que cada equipe tem direito a escolher uma bateria para participar.

Contudo, Domenicali acredita que isso não é suficiente para dar uma experiência válida aos pilotos.

“Estamos correndo o risco de que, sem muitos testes na F-1, poderemos tornar impossível que surjam novas estrelas, porque eles vão chegar à categoria sem a experiência adequada. Cometerão erros, estarão sob pressão e não será fácil.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias