Domenicali explica fechamento do túnel de vento: "Muito velho"

Chefe da Ferrari diz que equipamento funcionará por "mais algumas semanas" para que time determine qual o problema

A Ferrari foi uma das equipes que mais evoluiu na primeira metade da temporada. Tanto, que o líder do Mundial, Fernando Alonso, chegou a marcar duas pole positions, na Grã-Bretanha e na Alemanha, depois de começar o ano levando mais de 1s5 de Lewis Hamilton. Porém, após a etapa alemã, última vencida pelo espanhol, a equipe italiana estagnou.

Após investigações internas, foi descoberta uma falha na correlação entre os dados do túnel de vento, equipamento usado para medir o desempenho de peças aerodinâmicas, e os obtidos na pista. Assim, a equipe decidiu fechá-lo logo após o fim da temporada para reformas. “Estávamos tentando colocar novas peças no carro e nem todas estavam funcionando na pista”, explicou o chefe da Ferrari, Stefano Domenicali.

“Então, começamos a investigar um pouco mais e descobrimos esse problema. Analisamos profundamente os motivos para isso e percebemos que nossa máquina, embora não seja obsoleta, não dá conta de algumas tecnologias disponíveis no mercado. Então quisermos fazer isso para, pelo menos, aumentar a porcentagem de novidades que levamos à pista.”

O túnel continuará operando pelo menos por mais algumas semanas junto de outro equipamento, alugado pelos italianos para comparar os dados. “Não temos a melhor estrutura em relação a isso no momento, é muito velha, então estamos tentando melhorar a qualidade das ferramentas que temos.” 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias