Dono da Force India é preso novamente na Inglaterra

Em nova investigação, autoridades creem que Vijay Mallya teria usado sua equipe de Fórmula 1 para lavar dinheiro

Vijay Mallya, proprietário da Force India, foi preso em Londres pela segunda vez em 2017, acusado de lavagem de dinheiro desta vez relacionada a sua equipe de Fórmula 1.

Mallya, de 61 anos, já foi preso em abril passado pela polícia britânica em nome das autoridades indianas, após um pedido dos bancos que tentavam recuperar cerca de US$ 1,4 bilhões relacionados à falência da Kingfisher Airlines, companhia aérea de Mallya.

Para Mallya, que teve seu passaporte indiano retirado e colocado sob restrições britânicas, terá um julgamento de extradição, marcado para o dia 4 de dezembro.

De acordo com Mark Summers, um advogado que representa o governo indiano, alguns dos fundos reivindicados pela justiça teriam ido para as contas da Force India.

A lavagem de dinheiro já estava na lista de acusações de Mallya após a primeira prisão, mas o fato de que alguns desses fundos terem acabado em contas da Force India é novo para a investigação.

Mallya disse que não tem intenção de voltar para a Índia porque teme que tenha que enfrentar um processo com exposição midiática, mas foi liberado sob fiança até a próxima audiência.

"O que eu tenho a dizer, vou dizer no tribunal e não vou repetir a jornalistas", disse ele quando ele deixou a corte de Westminster ontem. Não está claro o impacto a curto prazo que isso pode ter sobre a Force India.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Force India
Tipo de artigo Últimas notícias