Ecclestone admite que o retorno de Ímola é uma possibilidade

Chefe da Fórmula 1 confirmou que o circuito de Ímola é candidato para receber o GP da Itália, caso Monza saia.

Como o Motorsport.com revelou no início desta semana, os administradores do circuito de Ímola se reuniram com Berine Ecclestone para iniciar negociações sobre uma possível volta da prova em 2017, caso Monza não renove o contrato para receber o GP da Itália.

A ideia é que a etapa italiana se alterne entre os dois circuitos, para que os gastos sejam menores, a exemplo do que acontecia com o GP da Alemanha até o ano passado, o qual era revezado entre Hockenheim e Nurburgring.

O contrato da Fórmula 1 com o circuito de Monza vence em 2016 e a renovação está cada vez mais difícil, pois as exigências financeiras da categoria estão cada vez mais altas e o administradores do circuito estão com dificuldades de chegar a um acordo.

Ecclestone quer manter a etapa italiana

Em entrevista para o Gazzetta dello Sport, Ecclestone deixou claro que, apesar de suas frustrações com Monza, ele está confiante que a Itália continue sediando uma etapa da F1.

"Eu quero que a Itália para fique no calendário, a todo o custo. Mas, por enquanto eu me encontrei com Ímola (administradores), e ninguém de Monza me procurou há um mês. O desejo de salvar o Grande Prêmio da Itália está lá, mas eles (Monza) não têm o dinheiro", disse.

"As pessoas com quem falei (durante reuniões no GP de Mônaco) nem mesmo me pediram mais tempo para se decidir", criticou.

O chefe da FOM ainda acrescentou: "Ímola, me propôs um revezamento com Monza. Nós poderíamos fazer isso, eu quero garantir que a Itália permaneça no calendário", completou.

"Foi Enzo Ferrari, que me sugeriu que tivéssemos uma corrida perto de Bolonha, então é bom falar sobre isso novamente. Há boas intenções e bons alicerces lá", finalizou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags ecclestone, imola, monza