Ecclestone ameaça: F1 não precisa de uma corrida na Itália

Chefe dos direitos comerciais do campeonato volta a dar sinais de que corrida em Monza pode estar em seu último ano

Com muita discussão nos bastidores, o GP da Itália pode deixar mesmo de ser disputado a partir do ano que vem. Chefe da F1, Bernie Ecclestone continua ameaçando a corrida italiana apesar de o governo ter prometido mais dinheiro para a Fórmula 1.

O inglês de 85 anos garante a corrida para o ano de 2016, mas faz mistério mais uma vez quanto ao futuro. Segundo ele, a F1 pode sobreviver sem a Itália, assim como faz desde 2008 sem um GP na França.

"Monza tem um contrato para este ano, por isso a corrida vai acontecer, mas para o próximo ano temos um ponto de interrogação", falou ao Mail on Sunday.

"Eu não acho que nós temos que ter obrigatoriamente um GP da Itália. Alguém uma vez me disse uma coisa engraçada, que não poderia haver F1 sem uma corrida na França. Mas está tendo..."

Ainda segundo Ecclestone, a F1 tem contrato para fazer um GP em Las Vegas.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias