Ecclestone ameaça Red Bull caso equipe abandone a F1

Marca de bebidas energéticas ainda não conseguiu uma unidade de potência para a temporada 2016

 Bernie Ecclestone afirmou que a Red Bull irá encarar uma batalha legal se a empresa austríaca decida cumprir a ameaça de deixar a Fórmula 1 por ainda não ter conseguido um motor competitivo para as suas equipes em 2016.

Tetracampeão entre 2010 e 2013, a Red Bull ainda não tem uma unidade potencia para o próximo ano, após Mercedes e Ferrari se recusarem a fornecer os seus propulsores.

A escuderia sugeriu durante o GP da Rússia que poderia rever e seguir com a Renault, após as duas empresas se desentenderem em razão da ineficiência do propulsor francês nos dois últimos anos. No entanto, a montadora não estaria disposta a fazer um acordo por estar mais concentrada em comprar a Lotus e ter novamente uma equipe própria.

De propriedade da marca de bebidas energéticas, Red Bull e Toro assinaram um compromisso com Bernie Ecclestone para permanecer na F1 até 2020, e o dirigente espera que o acordo não seja quebrado.

“Red Bull pode ir para a Justiça e dizer” ‘sim, temos um compromisso, mas não temos um motor’. Meu argumento seria: ‘vocês assinaram para competir’. Vocês deveriam ter certeza quando assinaram o contrato que tinham um motor. A sua equipe deveria saber disso”, disse Ecclestone ao jornal The Independent. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing , Toro Rosso
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags ecclestone