Ecclestone cutuca Liberty: Ferrari pode viver sem F1

Ex-chefão da categoria acredita que as ameaças de Sergio Marchione devam ser levadas a sério

Bernie Ecclestone deixou o comando da Fórmula 1 há quase um ano, mas ainda tem opiniões fortes da categoria que esteve à frente por quase 40. Muitas delas batem de frente com a atual administração, do Grupo Liberty, chefiada por Chase Carey.

Em entrevista para a Auto Motor und Sport, Bernie voltou a criticar a postura dos novos donos dos direitos comerciais da F1, sobretudo às ameaças de saída da Ferrari pelo seu presidente, Sergio Marchionne.

“Se fosse Luca di Montezemolo, você não precisaria levá-lo a sério”, disse Ecclestone. “Corrida é a vida de Luca. Sergio pode viver sem a Fórmula 1. Ele só está interessado nos negócios. O mais importante para ele é apresentar bons resultados aos acionistas.”

“Se Marchionne não gostar do caminho que a F1 vai seguir, ele vai sair. Eu entendo que a Ferrari pode continuar sem a Fórmula 1, mas não vice-versa."

Por falar na Ferrari, Bernie atribui à briga entre a escuderia italiana contra a Mercedes pelo aumento da presença de fãs nos autódromos.

"Esperei por cinco anos para ver a Ferrari acordar novamente. Finalmente aconteceu. A luta entre Ferrari e Mercedes mobilizou os fãs. Pedi desculpas aos promotores por vendê-los por um monte de dinheiro que não atendia aos requisitos. Eles tinham pago pela antiga Fórmula 1. Tudo o que eles tiveram foram vitórias de Mercedes. Agora eles têm um bom retorno financeiro novamente."

E elogiou a nova atitude da Ferrari: “Eles foram inteligentes o suficiente para olhar para outras equipes e para o que eles faziam melhor. Contrataram boas pessoas. Eles sabem o que fez a Mercedes ser tão bem sucedida."

Em meio às discussões sobre o novo tipo de motor que a categoria deve adotar a partir de 2021, o britânico disparou: “A F1 deve voltar a ter um bom motor que permita uma boa corrida, mesmo que seja um V12."

Ecclestone também contou como é a sensação de assistir a Fórmula 1 sem ter o envolvimento do cargo que tinha.

"Sim, assisto as corridas. Estou mais relaxado hoje em dia porque não estou mais envolvido. É por isso que reconheço mais coisas que eu evitaria fazer ou melhorar."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias