Ecclestone diz que Cingapura não quer mais sediar GP

compartilhar
comentários
Ecclestone diz que Cingapura não quer mais sediar GP
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
Traduzido por: Gabriel Carvalho
20 de nov de 2016 13:17

Bernie Ecclestone revelou que organizadores do GP de Cingapura querem deixar a categoria; dirigente insiste que

Valtteri Bottas, Williams FW38 leads Nico Hulkenberg, Sahara Force India F1 VJM09
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid at the start of the race as Nico Hulkenberg, Sahara Force India F1 VJM09 crashes out
Sebastian Vettel, Ferrari SF16-H
Valtteri Bottas, Williams FW38 Mercedes
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid leads Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB12
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid leads behind the FIA Safety Car
Sebastian Vettel, Ferrari SF16-H passes Romain Grosjean, Haas F1 Team, who crashed on the way to the grid
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12

Há meses o GP de Cingapura tem sido alvo de especulação sobre a continuidade ou não na Fórmula 1, já que o contrato da prova com a categoria termina após a edição do próximo ano. Bernie Ecclestone, chefão da categoria, tem uma opinião sobre o assunto: para o dirigente, Cingapura não segue após o término do contrato.

Em entrevista à publicação alemã Auto Motor Und Sport, publicada neste domingo (20), Ecclestone não só disse que a prova não deve estender o contrato atual como não ficaria surpreso se alguma das fabricantes que atualmente estão na categoria - incluindo a Mercedes - saia do certame nos próximos anos.

“Pode acontecer de a Mercedes e a Ferrari acabar nos deixando. Honestamente, se as corridas melhorarem, talvez não seja algo tão terrível. Devemos lidar com o fato de que, uma hora ou outra, fabricantes saem de qualquer forma", afirmou.

"A Mercedes fará isso quando for interessante para eles e isso é algo que já aconteceu antes - veja a Honda, BMW e Toyota. Eles irão quando a F1 tiver feito todo o trabalho para eles. Nada é gratuito", acrescentou.

“Com os organizadores, é o mesmo. Veja o que fizemos por Cingapura: sim, o GP custa muito a eles, mas também demos a eles muito dinheiro. De repente, eles deixaram de ser somente um aeroporto em que se faz uma conexão. Agora eles acreditam que alcançaram o objetivo deles e não querem mais o GP", cravou.

As dúvidas sobre o futuro do GP de Cingapura ganham força em meio a sérias questões envolvendo os GPs da Alemanha e do Brasil - além do Canadá, ainda não confirmado mas com mais chances - para o próximo ano.

Ao falar sobre as provas, Ecclestone disse: "Estamos tentando fazer o melhor para manter o Canadá no calendário. No Brasil estamos buscando o mesmo, ainda que esteja difícil", comentou.

“Em relação a Hockenheim, não podemos subsidiar a corrida se não fizermos o mesmo em outras provas na Europa", completou.

Próxima Fórmula 1 matéria
Massa diz que perda do GP do Brasil "seria negativa demais"

Previous article

Massa diz que perda do GP do Brasil "seria negativa demais"

Next article

Mercedes: "melhor espírito de equipe de todos os tempos"

Mercedes: "melhor espírito de equipe de todos os tempos"

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias