Com 9 títulos nos últimos 15 anos, Alemanha pode ficar de fora da F-1

Apesar de reunião com novos donos da pista de Nürburgring, chefe da categoria faz mistério sobre realização da corrida

O enigmático Bernie Ecclestone gerou mais dúvidas sobre a realização do GP da Alemanha. Na semana passada, o chefe da Fórmula 1 manifestou a intenção de transferir a corrida alemã de 2015 para Hockenheim – o contrato previa que a pista de Nürburgring recebesse o evento, mas os novos administradores da pista não haviam procurado Ecclestone e seus pares.

[publicidade]Questionado se o GP de Hockenheim seria confirmado no calendário deste ano, Ecclestone despistou. Ele se reuniu com os novos donos da pista de Nürburgring em Londres, mas não garantiu que a Fórmula 1 passará pela Alemanha neste ano. Em seguida, em tom de brincadeira, afirmou que enxerga a Áustria como uma espécie de plano B.

Caso Ecclestone não chegue a um acordo com os alemães, pode ser a primeira vez desde 1960 que o país fica fora do circuito da Fórmula 1.

O GP de Hockenheim sofreu algumas críticas no ano passado pelas arquibancadas vazias - um forte contraste com a época em que Michael Schumacher levava multidões às pistas.

Apesar do sucesso de Sebastian Vettel e da Mercedes, Ecclestone reconhece que o interesse dos fãs alemães pelo esporte tem diminuído desde a segunda aposentadoria de Schumacher.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias