Ecclestone estaria tentando acordo milionário para se livrar de prisão

Chefão da Fórmula 1 é acusado de subornar banqueiro alemão em troca de avaliação favorável em 2006

O promotor da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, estaria tentando um acordo milionário para encerrar seu julgamento por subornar o banqueiro Gerhard Gribkowsky durante transação do capital da empresa que controla os direitos comerciais da categoria em 2006.

[publicidade]Sob julgamento desde abril, Ecclestone teria oferecido 25 milhões de euros ao banco alemão segundo o jornal britânico The Times para que o processo seja concluído.

Ecclestone é acusado de pagar mais de 30 milhões de euros de propina ao funcionário do banco alemão BayernLB, que já está preso pelo episódio. O inglês admitiu ter dado o dinheiro a Gribkowsky, mas nega o suborno, alegando que foi chantageado para entregar a quantia.

O caso chegou à Corte de Munique, na Alemanha, devido às queixas da empresa Constantin Medien, que alega ter sofrido grandes perdas financeiras depois que a Fórmula 1 passou a ter seus direitos vinculados à CVC, em 2006. Ecclestone teria agido junto de Gribkowsky para subvalorizar o produto de forma intencional e continuar controlando a categoria.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias