Ecclestone lamenta fim das grid girls: “Eram parte do show”

Antigo dirigente máximo da F1 não gostou da decisão do Liberty Media em eliminar a função já a partir da temporada de 2018

Bernie Ecclestone, ex-dirigente máximo da F1, lamentou a decisão do grupo Liberty Media em extinguir a função das grid girls na categoria já a partir da temporada de 2018.

Em comunicado, o atual diretor comercial da F1, Sean Bratches, justificou a decisão por “não acreditar que a prática seja apropriada ou relevante para a categoria e para os fãs ao redor do mundo.”

Ecclestone, no entanto, não gostou da mudança. “Essas garotas eram parte do show. Os fãs adoram o glamour”, disse o ex-dirigente, em entrevista ao jornal inglês The Sun.

“Você deve permitir ter grid girls porque os pilotos gostam delas, a audiência gosta delas e ninguém se importa. Essas garotas eram parte do show, parte do espetáculo.”

“Não consigo ver como uma garota de boa aparência, que fica de pé ao lado de um piloto e de um número em frente de um carro pode ser ofensivo para alguém.”

“Elas estão todas bem vestidas e eu pensaria que pessoas de Rolex e Heineken [patrocinadoras da F1] não teriam grid girls que não fossem apresentáveis.”

“Isso tudo era parte do show, as garotas com os pilotos. Era tudo parte da tensão do pré-show”, completou.

 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias