Ecclestone pode deixar cargo de "supremo" da F-1 por problemas na justiça

Bernie está sendo acusado de suborno na justiça alemã por pagar 45 milhões de Euros a Gerhard Gribkowsky, que inclusive já está preso

O presidente da FOM e praticamente o dono da Fórmula 1 Bernie Ecclestone admitiu que pode se afastar da direção da categoria caso tenha problemas com seu cargo em virtude de uma acusação na corte alemã que alega que o inglês subornou Gerhard Gribkowsky, representante do Grupo CVC, na venda dos direitos da F-1 em 2006.

Gribkowsky já foi preso e Ecclestone terá que se explicar pelo montante de 45 milhões de Euros que depositou na conta do representante da CVC na época. Bernie alega que tal valor não foi suborno. Investigação alemã está analisando o caso.

Mas em recente entrevista ao tabloide inglês The Sunday Telegraph, Ecclestone comentou que poderá deixar seu cargo: "Provavelmente serei forçado a sair caso achem algo que deponha contra mim. Isso seria bem óbvio", falou.

A CVC, inclusive, já está ponderando um sucessor caso aconteça algo com Ecclestone: "Eles disseram que contrataram um caçador de talentos caso aconteça algo, como eu morrer, por exemplo. É uma coisa normal", complementou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias